sábado, 29 de dezembro de 2018

SAGRADA FAMÍLIA - texto de reflexão


SAGRADA FAMÍLIA - Ano C

Sentimentos… Falar apenas com o olhar!
Sentimentos… Tocar com uma palavra!
Sentimentos… Escutar o pulsar do coração com um abraço!
Este sentir é muito mais do que uma reação química…
é o descobrir o Amor Verdadeiro que une e que fortalece uma Família Cristã.
Não é o Amor entre dois Seres humanos…
é o Amor entre o Pai e o Filho ou a Filha… entre a Mãe e a Filha ou o Filho!
 Ser Família é Ser Missão a cada segundo do dia e nunca baixar os braços!
Cada um de nós tem uma Mãe…  (que sabe onde está a Esperança, sempre.)
«… firmou sobre eles a autoridade da mãe.»
Aquela que ama incondicionalmente, que teimosamente quer estar presente em tudo,
que acha que tem sempre razão, pois o tal sexto sentido feminino faz dela um Ser quase sobrenatural!
Cada um de nós tem um Pai… (que nos mostra a Esperança, sempre.)
«Quem honra o pai encontrará alegria nos seus filhos e será atendido na sua oração.»
Aquele que faz de tudo para que o sorriso na face da sua família seja constante,
carrega nos ombros a casa, como um caracol, só que abriga muito mais do que ele próprio,
aliás dorme ao relento, se for necessário, para que a família esteja protegida e segura, quente e feliz!
Cada um de nós é Filho… (que é a Esperança, sempre.)
«Filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto agrada ao Senhor.»
Aqueles e Aquelas que estão sempre com pressa: querem crescer para serem independentes,
passam na casa dos pais, mas “têm que ir embora já, porque ainda não trataram daquele problema”,
e conquistam o coração do pai e da mãe com aquele sorriso rápido e aquela promessa:
“Amanhã, venho almoçar e terei mais tempo…”
Hoje, a Liturgia da Sagrada Família vem mostrar-nos o quanto é árduo Ser Família…
Ser Pai que procura o Filho, desesperadamente:
«Quando viram Jesus, seus pais ficaram admirados.»
Ser Mãe que permanece calada, perante a dor:
«Sua Mãe guardava todos estes acontecimentos em seu coração.»
Ser Filho que tem uma Missão maior:
«Não sabíeis que Eu devia estar na casa de meu Pai?»
 Este globo, esta bola gigante, que habitamos confunde-nos e
mostra-nos um caminho que não é semelhante ao da Família de Nazaré. MAS…
Este Ser Família, que Os fez amarem-se incondicionalmente, fez de Cada Um Deles
(José o Pai Adotivo de Jesus; Maria a Mãe do Messias; Emanuel o Menino Deus.)
um porto Seguro e Firme para o outro, onde a Escuta da Palavra de Deus os unia e os abençoava!
O projeto de Deus não era um sonho…  (hoje, se aceitarmos a vontade de Deus, é a tua e a minha realidade.)
foi concretizado num Carpinteiro, numa Menina Moça e num homem que cresceu obediente aos seus pais.
 «Felizes os que esperam no Senhor e seguem os seus caminhos.»
Aqueles que aceitam a Missão de Ser Família abandonam-se a si mesmos para que o outro cresça!
Mesmo quando não conseguem entender alguns gestos, oferecem Amor!
Na falta da troca de Palavras, vão ao encontro do outro e beijam!
E… no erro, na falta de carinho, revestem o olhar com ternura e pedem: “Perdoa a minha ofensa…”
Ser Pai, Ser Mãe e Ser Filho é não ter rosto, é ter cada qual a sua vida entrelaçada no outro…
Não há função concreta para cada um deles, nem há solidão, nem dor que não seja superada…
Todos são Sentimento profundo e todos são um Só…  Numa Só Família!

Liliana Dinis

SAGRADA FAMÍLIA 2018


UM TESTE NATALÍCIO. ALINHAS?


quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

NATAL EM MIRA DE AIRE - é mais que um dia....

O Natal cristão começa na noite, continua no dia, prolonga-se nos oito dias seguintes (oitava de Natal) e depois... 'é quando o ser humano quiser'!
Em MIRA DE AIRE exprime-se este feliz acontecimento com um júbilo e dinamismos muitos específicos e próprios dos mirenses. 
Tendo sempre presente que todos devemos ser protagonistas vivos e participantes  deste 'mistério do amor de Deus' na Encarnação de Jesus, em Belém, em Mira de Aire quem nos 'guia' aqui são os Quarentões, este ano os nascidos em 1978.
Desde o acender do 'fogo', à aldeia de Natal, à Exposição da 'arte natalícia' feita à mão (na Igreja Velha), à celebração jubilosa da  Missa 'in Galli Cantu' (do galo), à pirotécnia, às filhoses e café da avó, até aos leilões que se sucedem até dia 1 de Janeiro do novo ano, ao embelezamento 'sempre tão original' da Igreja, aos 'pais natais' que deliciam as crianças mirenses e a outros sinais festivos....tudo é 'coroado' com a devoção marcante à padroeira, Nossa Senhora do Amparo, nas várias expressões que lhe são tributadas, especialmente com a procissão natalícia.
No Natal a Festa grande é do Filho, da vida que nasce... É Ele o centro. Mas aqui sente-se que atrás dum Filho Único e Salvador há sempre uma Grande Mãe.












segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

CANTE-SE A ALEGRIA BELA DO NATAL

Nas expressões da protagonista, na voz, nas imagens... no ser criança...está o melhor modo de dizer 'Natal' e de comunicar a grandeza do 'mistério', do qual alguém dizia perante a interrogação: "o que é? que acontecimento? Não sei 'desvendar' a sua grandeza, nem eu nem a minha família"! É maior que nós, mas é para nós e por nós!
Basta de palavras...escute-se!
FELIZ NATAL A TODOS E A CADA UM.


sábado, 22 de dezembro de 2018

IV DOMINGO ADVENTO C - texto de reflexão


Eis que Ele está para chegar...
Eis que se aproxima a grande noite. A noite que une o Céu e a Terra. A maior de todas as noites. 

Eis que está para chegar a noite do Altíssimo revelada no Seu mais pequeno e frágil menino. Eis que está para chegar o Todo Poderoso num dos locais mais inseguros e sem condições algumas. 

Eis que Ele está para chegar sem manias, nem aparatos. Eis que Ele está para vir...

E, por isso, mais do que nunca, temos de estar atentos. Já não nos é pedido que estejamos preparados. Sim, porque isso já deveria ter sido feito. Agora temos é de estar atentos, porque Ele virá. Ele virá e poderemos não reconhecê-Lo na sua grandiosidade sempre revelada na simplicidade. Ele virá e poderemos não reconhecê-Lo nas surpresas da nossa vida. 
Deus está para chegar, mas tal como no Seu nascimento biológico, não chegará como "um raio que nos cai em cima cheio de poder e estrondo", nem virá para impor uma monarquia celestial. Virá, isso sim, para dar nome ao Reino do Seu Pai. Virá, isso sim, para dar nome ao Reino dos Céus. Virá para iniciar esse mesmo reino aqui com o Seu amor e ficar assim acessível a todos e a todas que Lhe quiserem aceder. 

O Immanouel está mesmo aí e não virá em nenhum presente caro, não se revelará em nenhuma posta de bacalhau e muito menos aparecerá naquela garrafa de vinho que tanto apreciamos (permitam-me a brincadeira, a não ser que exageremos na bebida é claro). O Deus menino está para chegar e será presente na forma como nós nos fizermos presença para o outro. O "Deus connosco" está para chegar e será presente na forma como nos reconhecermos humildes. O menino Jesus está para chegar e será presente na forma como nos deixarmos que Ele seja presença em nós e transforme assim a nossa vida. Não como que pura magia, mas como uma certeza que nos convide a dizer-Lhe "Sim" em todos os dias da nossa vida. 

O Immanouel está para chegar e vem para ficar, se assim o bem entendermos. Vem para os que O esperaram. Ele vem para todos os que Lhe recebem de alma e coração, pois é aí que se faz presépio. É aí que o presépio se torna "lugar de encontro para todos".


IV DOMINGO ADVENTO C


quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

OLHA...VEM AÍ !

Não o vês? Vem aí! O Natal, o de Jesus!
Dez mandamentos para viver um Natal cristão

Sobre o Natal, cada um de nós tem muitas histórias para contar: presentes, árvore, presépio, luzes, pai natal, centros comerciais… Praças, casas, ruas e montras iluminadas atraem-nos e revelam a sua importância. Tantas são as atividades que se realizam, as preparações, as compras, que nos fazem esquecer o Festejado: Jesus Cristo, o Emanuel, o Deus connosco, que dividiu a história antes e depois dele.
Os intermináveis afazeres e as raízes pagãs da festividade que ocorria na data em que hoje se assinala o Natal ameaçam desde sempre o seu sentido, e por isso é importante recordar e esclarecer que ele significa o nascimento de Jesus. Por isso, desejando-nos Bom Natal, desejamo-nos “bom renascimento em Jesus”.
1. Prepara-te para o Natal
O tempo do Advento estimula-nos a prepararmo-nos para a chegada do Senhor através da vigilância, oração, conversão e caridade. Preparar-se para o Natal significa confessar-se, significa comprometer-se mais na oração e em realizar concretamente ações de caridade para com os mais necessitados.

2. Prepara o presépio
Deus não nasce nos corações fechados ou empedernidos. Deus bate e nunca entre se a Ele não se abre a porta desde o interior. É por isso que o verdadeiro presépio de Jesus está no teu coração quando é repleto de acolhimento, de perdão e de amor. «Prepara-me o presépio também na tua família porque, para mim, não existe um presépio mais belo do que uma família recolhida na oração, unida no amor, firme na fidelidade, onde cada um vê no outro o meu rosto.»

3. Honra a minha Mãe e o meu Pai
Maria e José são a minha família. Honra a minha Mãe que do alto da cruz te dei como mãe. Honra José que me protegeu e muito me ensinou, inclusive através do seu eloquente e orante silêncio. Recorda-te também que a verdadeira devoção que podes oferecer aos meus pais é a de honrares os teus pais e os teus avós, especialmente se são idosos.

4. Deixa-me um lugar livre à mesa
Sê generoso e não ocultes o teu medo e avareza por trás de preconceitos e falsas justificações. Aprende a ver-me em todo o faminto, sequioso, nu, recluso e doente. Por isso não adies o bem que podes fazer para aquele amanhã que nunca chegará e nunca fiques satisfeito se deixaste um irmão teu sem pão.

5. Vive o meu Natal com os teus
Detém a tua vida frenética e reordena a pirâmide das coisas de valor na tua vida. Não te deixes ficar escravo das coisas que perecem, do trabalho ou do supérfluo. Encontra tempo para brincar com os teus filhos, para falar com os teus, para sair juntamente com os teus. Eu nasci ao frio mas o calor da minha família salvou-me dele e do gelo que me rodeavam. Só o calor da família é capaz de aquecer-nos o coração.

6. Reconcilia-te com os outros
Sem perdão não há Natal. É inútil decorar a casa, o jardim e a rua com luzes e árvores de Natal se o rancor e os ressentimentos tomaram conta de ti. Liberta-te do ódio com o amor; do ressentimento com o perdão; da adversidade com a reconciliação; da hostilidade com a amabilidade. Ganha mais quem concede o perdão do que aquele que o recebe.

7. Não te envergonhes do meu Natal
Não nomeies o meu Natal em vão, transformando-o numa festa pagã. Aprende de João Batista a ser uma voz que grita no deserto do mundo para preparar a minha chegada. Não tenhas medo de dizer que esta festa se chama Natal, e não pai natal. Tirar o meu nome nunca é sinal de respeito pelos não crentes mas de vergonha dos crentes. Fala-se muito do meu nascimento mas sem me recordar. Fico sem palavras ao ver como se explora comercialmente ao máximo a minha festa sem me nomear. Ao menos tu não o faças.

8. Não dês presentes impuros ou inúteis
A cultura do materialismo e do comércio transformou o meu aniversário em infinitas embalagens de presentes de todo o género. Diante das mil e uma possibilidades, o presente tornou-se um peso para quem o oferece e para quem o recebe. Quantas coisas inúteis enchem as nossas casas e ocupam lugar durante anos. Aprende a dar bem os presentes, escolhendo a simplicidade e não a marca, a utilidade e não o preço. Liberta-te também do supérfluo e partilha os objetos que não usas com aqueles que deles precisam. «Algumas sugestões para um presente de Natal: ao teu inimigo, perdoa; ao teu adversário, oferece tolerância; a um amigo, oferece o teu coração; a um cliente, o teu serviço. A todos, dá a caridade. A cada criança, dá um bom exemplo. A ti mesmo, oferece respeito» (Oren Arnold).

9. Recorda-te de santificar a vigília e o dia do meu nascimento
Faz mal ver os crentes absorvidos e agitados na preparação do jantar da véspera de Natal e ao mesmo tempo desinteressados em encontrar o tempo para santificar a minha chegada ao mundo. Sinto que devo lembrar-lhes: «Marta, Marta, andas preocupada e agitada com muitas coisas, mas uma só é a coisa que é necessária. Maria escolheu a melhor parte, que não lhe será tirada» (Lucas 10, 41-42).

10. Recorda-te dos idosos
O Natal é tempo de alegria mas é também tempo de memória, e a memória torna-se um chicote nas costas das pessoas que, após uma longa vida, se encontram sós, abandonadas e esquecidas até pelos próprios filhos. Empenha-te, por isso, em dar-lhes o calor que te deram em abundância quando dele precisavas. Oferece-lhes também um telefonema ou uma breve visita, será o presente mais belo que poderás dar-me.

Abre o teu coração à verdadeira luz: a luz que pode iluminar e transformar-nos, se nasce dentro de nós; a luz do bem que vence o mal; a luz do amor que supera o ódio; a luz da vida que derrota a morte.
Na realidade, estou a pedir-te para que transformes o meu Natal no teu natal para uma vida generosa e frutuosa.
É por isso que também Eu te desejo um Bom Natal!

Yoannis Lahzi Gaid 

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Papa Francisco - Mensagem de Natal

VEM AÍ A 'AZÁFAMA DOS PRESENTES' NATALÍCIOS! CONSIDERE ESTES!


6 presentes de Natal que não custam dinheiro,
mas que não são grátis

Permita-se dar presentes cujo valor não se mede em quantidade, mas em magnanimidade!

 1. Perdão
Quando perguntaram a Jesus quantas vezes devemos perdoar, Ele respondeu: “Setenta vezes sete”. Trata-se de uma expressão semítica para dizer “sempre”. No Pai-Nosso, a oração que o mesmo Jesus nos ensinou, Ele nos orienta a pedir perdão a Deus de modo unido ao perdão que nós próprios somos chamados a dar aos nossos irmãos:
“Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”.
O perdão faz parte indissociável do modo como Deus nos ama – portanto, da maneira de amar que nós próprios somos exortados a aprender.
 2. Oração
Conversar com Deus sobre as pessoas e pedir as Suas bênçãos para a vida delas é um presente sublime e de valor eterno. Presentei-o com abundância, não apenas às pessoas mais próximas de você, mas também aos milhões e bilhões de pessoas que sofrem neste mundo todo tipo de provação e privação e que clamam por bálsamo dos Céus. 
 3. Tempo
Um dos nossos bens mais escassos é o tempo, de modo que presenteá-lo é uma preciosidade. Presentear tempo é oferecer dedicação e apreço, o que é particularmente estimado por quem vive uma situação de certa forma “oposta” à da nossa falta de tempo: os idosos, que dispõem de tempo, mas sentem falta de companhia.
 4. Humildade
Queremos que os outros valorizem os nossos esforços e gostamos de comunicar a todos o que nos acontece e o que fazemos – mesmo que seja “apenas” nas redes sociais, tentando aberta ou sutilmente granjear “curtidas” e afagos ao nosso ego. Que tal deixar as vaidades de lado e interessar-se mais por ouvir os outros? Além de ceder as atenções ao próximo, outra forma de presentear humildade é ceder também nas discussões cotidianas sobre os muitos assuntos em que se teima apenas por teimar.
 5. “Eu te amo”
Presenteie a mais bela frase que uma pessoa pode ouvir de outra, especialmente quando essa pessoa também ama você e certamente almeja a reciprocidade: seus pais, seus irmãos, seu cônjuge, seus filhos, seus netos, seus avós, seus familiares mais queridos, seus amigos mais próximos… Ame e diga que ama! Há bebês na família? Que “eu te amo” esteja entre as primeiras frases que eles aprendam a entender e a dizer!
 6. Jesus
Sim, dê Jesus de presente aos demais. Fale d’Ele, ainda que seja brevemente, mas com naturalidade, sem afetação nem exageros, sem imposições nem empáfia. Testemunhe que você O ama. Para isso, use poucas palavras e muitos testemunhos. Reze, visite Jesus na Eucaristia, receba-O na Santa Missa, confesse-se para se reconciliar com Ele. As pessoas percebem quando você de fato tem e transmite Jesus – não é preciso alardear.                          Imissio

domingo, 16 de dezembro de 2018

III DOMINGO ADVENTO - texto de reflexão


Aperto… é o que sinto no peito, quando há algo que anseio e demora a chegar!
Apertado… errante e perdido permanece o meu pensamento, quando anseia sem procurar, o que está pra chegar!
Apertar… tudo o que existe e toda a criatura que respira, quando anseio que me levem onde quero chegar!

Quero viver este aperto como se fosse o último ar que inalo na vida.
Sei que és Tu, Senhor, quem vem ao meu encontro para me rodear com factores infinitos de um amor,
que só pode resultar numa felicidade extrema.
Em Ti, por Ti e para Ti quero Ser O produto de uma experiência de oração e atitude que pode mudar o mundo…
Quero Ser: Balde simples e modesto:
«Tirareis água com alegria das fontes da salvação. 
e quero Ser Anunciador, porque o meu Baptismo me torna forte e capaz de com gestos…
«Agradecer ao Senhor, invocar o seu nome; anunciar aos povos a grandeza das suas obras, 
proclamar a todos que o seu nome é santo.»

Que na vida de cada um de nós haja a certeza de que:
«Por causa de ti, Ele enche-Se de júbilo, renova-te com o seu amor…»
porque depende de nós (de mim e de ti) a vitória da Paz, da Alegria, da Fé e da Esperança!
Não… «Não vos inquieteis com coisa alguma; mas em todas as circunstâncias, 
apresentai os vossos pedidos diante de Deus, com orações, súplicas e acções de graças.»
Então… ajoelha-te, inclina a cabeça, rasga o teu coração e deixa que os teus olhos falem!

Hoje, no 3º domingo do Advento, do Ano C, S. João Baptista, avalia o nosso coração!
Fita-nos nos olhos com palavras duras e desafios inatingíveis para quem tudo tem, para quem tudo sabe…
Mas, o que temos afinal? O que é nosso? O que sabemos? E as multidões perguntam: «Que devemos fazer?».
Se João Baptista anunciasse agora a vinda Daquele a quem: 
«eu(João)não sou digno de desatar as correias das suas sandálias»
Voltaria a falar do Amor… do viver em Amor, e como nos diz Santo Agostinho: “Ama e faz o quiseres!”

Habitamos o século XXI com toda a tecnologia e toda a rapidez que alguma vez já existiu!
Os dias transformam-se em segundos… O diálogo em escrita digital… o beijo num hieróglifo…
e a troca de olhares não é face a face: é de câmara para câmara!
Tão perto e tão longe uns dos outros! Partilhamos tudo sem oferecer Algo (o coração)!
Hoje, precisamos de ansiar que o Messias venha e «Tenha na mão a pá para limpar a sua eira!»
Mas que venha também«…recolher o trigo no seu celeiro…»

Com Jesus… Eu quero Ser Trigo! Juntos somos Mais fortes!
Neste Natal, há Algo mais que devemos fazer.
Não basta partilhar o casaco que já não vestimos. 
Não basta distribuir chocolates pelas crianças que precisam de um doce abraço.
Não basta fazer a viagem de 4 horas para visitar os avós que já não vemos há 1 ano.
Não basta!!! 
Ser trigo… Ser Baptizado com a água que é fogo e nos faz Ser alegria… é tudo isto e muito MAIS!

Neste Advento, nestas 2 semanas finais, vamos rezar!
Além de tudo o que podemos e devemos fazer pelos outros,
vamos falar com Deus sobre os que mais sofrem…

Jesus, Menino que vem para Ser Luz,
aquece o coração de todos os que se abandonaram na rua do vício e da solidão!
Jesus, Menino que vem para Ser Alegria,
coloca um sorriso em todas as crianças que sofrem pela indiferença dos pais, 
por uma doença, pela crueldade do mundo que criamos!
Jesus, Menino que vem para Ser Carinho
abraça aqueles que nos amam e tanto nos ensinaram, sem nada quererem em troca!

Vamos rezar uns pelos outros… 
Eu vou rezar por ti! E tu? Não sentes aquele aperto que te faz gritar: 
“Senhor, ajuda o meu irmão que sofre!”


domingo, 9 de dezembro de 2018

O NATAL DE JESUS COMEÇA MAIS CEDO...

Já quase tudo 'respira' ares de Natal...em modo massificado nas ruas, montras, ruas e ruelas, vilas e cidades, negócios.
É caso para perguntar: e o Natal de Jesus, o nosso Natal cristão já começou... entre nós?
Eu diria que sim, também já começou com sinais e gestos nas comunidades que hoje - 8 de Dezembro - foram imbuídos do espírito natalício, nas celebrações e nas acções.

NA BÊNÇÃO DA VIDA NASCENTE (das grávidas) E OUTROS ANIVERSÁRIOS DE VIDA
- integrada nas celebrações da solenidade da Imaculada Conceição. Em Alvados, São Bento e Mira de Aire







NA REPRESENTAÇÃO NATALÍCIA no simbolismo da história, apresentada com muita qualidade pelo grupo  Leirena, no salão paroquial de Alcaria, intitulado 'O boi e o burro de Belém'



NO CONCERTO DE NATAL, de muito boa qualidade, na Igreja paroquial de Mira de Aire, promovido pelo Coro Gaudia Vitae e com a presença muito qualitativa do Coral de São Mateus (Barcelos) e do Coro Chorus Auris (Ourém)

https://photos.google.com/photo/AF1QipO6_Q9uv8aaVEbDMMoCPO42s393XXRkuelpqYuo

https://www.facebook.com/leaosadio/videos/10210439970874353/

(copiar os textos, colar e ver)


Sinais exteriores, belos e significantes para quem teve a ousadia, a possibilidade e a disponibilidade para sair do 'cantinho caseiro' e presenciar bons momentos que ficam como bons acontecimentos, porque vão construindo um modo de olhar e vivenciar Natal!


sábado, 8 de dezembro de 2018

II DOMINGO ADVENTO C


ADVENTO- Manter a atenção...vigilantes!

Por quem esperamos?
Por quem esperamos nestes dias? 
Que significado tem toda esta espera até ao dia 24/25 de dezembro?  
Estamos apenas à espera de uma noite com a família? É somente a espera por um dia que nos leva a estar mais disponíveis para a solidariedade?  
Por quem esperamos nestes dias? 
Qual a importância desta época que é capaz de trazer magia aos nossos dias?  
É bom que estes dias sejam de verdadeira reflexão e de disponibilidade para mim mesmo, para que assim possa, efetivamente, chegar ao outro, mas deve, acima de tudo, ser oportunidade para chegar junto d'Aquele que dá sentido a todo este tempo. Para chegar junto d'Aquele que dinamiza todo este mistério de um Deus que quis experimentar a Sua divindade na plenitude da Sua humanidade.
É essencial estarmos juntos. É importante convivermos e partilharmos com aqueles que mais precisam. Tudo isto é, claramente, essencial e ajuda a que estejamos mais próximo d'Ele, mas não chega. E não chega mesmo quando muitas das vezes, realizamos um mero ritual vazio, onde colocamos mais ou menos enfeites, onde ajudamos mais ou menos pessoas. Este tempo deve ser preenchido por tudo aquilo que somos. Deve ter uma entrega total. Deve ser advento de doAção.  
Agora é, mais do que nunca, tempo para nos doarmos sem limites Àquele que é o Príncipe da Paz. Doarmo-nos sem receios Àquele que vem para nos restaurar de todo o pecado. Doarmo-nos sem desculpas Àquele que se tornou tão frágil e tão humano para assim poder demonstrar que Deus está connosco. Que Deus sempre está!  
É tempo de luzes, de alegria, de espera e de esperança, por causa de um Deus que quis amar tremendamente o Mundo dando assim o Seu tão amado Filho (João 3,16). 
É tempo de união e de festa, porque n'Ele somos igualados como Filhos de Deus.  

É tempo de uma oração inteiramente com o nosso coração para que possamos receber verdadeiramente nas nossas vidas o Immanouel, para que assim possamos gozar desta nossa vida como verdadeiro dom e verdadeiro milagre.
     Emanuel António Dias

Para melhor rezarem neste tempo de Advento convido-vos a ouvirem uma música: Lauren Daigle - Light Of The World  - com este belo e significativo texto




Light Of The World

The world waits for a miracle
The heart longs for a little bit of hope
Oh come, oh come emmanuel
The child prays for peace on earth
And she's calling out from a sea of hurt
Oh come, oh come emmanuel
And can you hear
The angels singing
Glory to the light of the world
Glory the light of the world is here
The drought breaks
With the tears of a mother
A baby's cry is the sound
Of love come down
Come down, emmanuel
He is the song for the suffering
He is messiah
The prince of peace has come
He has come, emmanuel
Glory to the light of the world
Glory to the light of the world
Glory to the light of the world
Glory to the light of the world
For all who wait
For all who hunger
For all who've prayed
For all who wonder
Behold your king
Behold messiah
Emmanuel, emmanuel
Glory to the light of the world
Glory to the light of the world
Glory to the light of the world
Behold your king
Behold messiah
Emmanuel, emmanuel
The world waits for the miracle
The heart waits for a little bit of hope

O come, o come emmanuel

Luz do Mundo

O mundo espera por um milagre
O coração anseia por um pouco de esperança
Oh vem, oh vem Emmanuel
A criança ora pela paz na Terra
E ela está chamando de um mar de dor
Oh vem, oh vem Emmanuel
E você pode ouvir
Os anjos cantando
Gloria à luz do mundo
Gloria a luz do mundo está aqui
A seca quebra
Com as lágrimas de uma mãe
O choro do bebê é o som
De amor, venha
Venha, Emanuel
Ele é a canção para o sofrimento
Ele é o Messias
O príncipe da paz chegou
Ele veio, Emmanuel
Gloria à luz do mundo
Gloria à luz do mundo
Gloria à luz do mundo
Gloria à luz do mundo
Para todos os que esperam
Para todos os que têm fome
Para todos os que têm orado
Para todos que querem saber
Eis o vosso Rei
Eis o Messias
Emmanuel, Emmanuel
Gloria à luz do mundo
Gloria à luz do mundo
Gloria à luz do mundo
Eis o vosso rei
Eis o Messias
Emmanuel, Emmanuel
O mundo aguarda pelo milagre
O coração espera por um pouco de 
esperança
Vem, ó vem Emmanuel


domingo, 2 de dezembro de 2018

ADVENTO - uma ideia de 'semente'



Advento: Semente de um tempo novo

De novo o advento. Regressar ao princípio. Refazer, como novidade absoluta, o caminho antigo. Assumir a transumância como método. Ser nómada em obediência à voz antiga, aquela que sobrevive entre uma multidão de ruídos, o apelo do deserto, «endireitai…», como quem diz, «despertai!».
Começar de novo. Hoje é sempre a primeira vez. Avançar. Assumir a tonalidade primeira, o acorde fundamental a partir do qual se compõe um hino à mais pura das alegrias. E não ter medo da alegria.
Ser tela onde a palavra já dita e redita mil vezes – amor, perdão, paz… - se desenha como Boa Nova. Hoje, de novo, porque amanhã não sei o que será.
Procurar os fios invisíveis que ligam a terra ao céu. Reparar as ligações que me ligam a ti e a Ti. E recolher as sementes da eternidade espalhadas, em noite de vendaval, por terras desconhecidas. Encher a taça e voltar a semear. Pacientemente. Com esperança. Basta a esperança.
Porque este tempo é um dom no qual se desconstrói e reconstrói a memória. Porque neste tempo voltamos a ser como crianças que andam à roda com as mesmas perguntas: «Onde fica Belém?», «quem são os homens do Oriente?», «quando é que chega o Natal?». E espreitamos, através da fé, o horizonte desconhecido à procura desse lugar, simples e despojado, onde Deus se fez homem.
Porque neste tempo somos de novo o adolescente sonhador que acredita no cumprimento da promessa repetida de geração em geração, «Amanhã é Natal, Ele há de vir de novo».
Porque neste tempo não queremos ser como casas pesadas de janelas fechadas e atulhadas de mobiliário comprado em tempo de promoção.
Este é o tempo de escavar as camadas da compreensão da verdade e aceder, ainda que de «maneira imperfeita», com uma fé ainda muito imperfeita, às razões do mistério de Deus feito menino.
É o tempo de aceitar ser um rebento enxertado no ramo de uma história milenar cujos frutos, sabe Deus, guardam as sementes de um novo advento.
 P. Nélio Pita, CM 

sábado, 1 de dezembro de 2018

I ADVENTO C2018


ADVENTO 2018 - Texto de reflexão



O que é o Advento e como podemos vivê-lo?

Parte superior do formulário
Parte inferior do formulário

Advento é o tempo de preparação para celebrar o Natal e começa quatro domingos antes desta festa. Além disso, marca o início do novo Ano Litúrgico católico e em 2018 começará no domingo, 2 de dezembro.
Advento vem do latim “ad-venio”, que quer dizer “vir, chegar”. Começa com o domingo mais próximo da festa de Santo André (30 de novembro) e dura quatro semanas.
O Advento está dividido em duas partes: as primeiras duas semanas servem para meditar sobre a vinda do Senhor quando ocorrer o fim do mundo; enquanto as duas seguintes servem para refletir concretamente sobre o nascimento de Jesus e sua irrupção na história do homem no Natal.
Nos templos e casas são colocadas as coras do Advento e se acende uma vela a cada domingo. Do mesmo modo, os paramentos do sacerdote e as toalhas do altar são roxos, como símbolo de preparação e penitência. A exceção é o terceiro domingo, o Domingo Gaudete (da alegria), no qual pode se usar a cor rósea.
A fim de fazer sensível esta dupla preparação de espera, durante o Advento, a Liturgia suprime alguns elementos festivos. Na Missa, não é proclamado o hino do Glória.
O objetivo desses simbolismos é expressar de maneira tangível que, enquanto dura a peregrinação do homem, falta-lhe algo para seu gozo completo. Quando o Senhor se fizer presente no meio do seu povo, a Igreja terá chegado à sua festa completa, representada pela Solenidade do Natal.
Muitos católicos sabem do Advento, mas talvez as preocupações no trabalho, as provas na escola, os ensaios com o coral ou teatro de Natal, a arrumação do presépio e a compra dos presentes fazem com que se esqueçam do verdadeiro sentido deste tempo. Por isso, é preciso recordar que a principal preparação neste período deve ser interior, na espera da vinda de Jesus.
No tempo do Advento, faz-se um apelo aos cristãos, a fim de que vivam de maneira mais profunda algumas práticas específicas, como: a vigilância na fé, na oração, na busca de reconhecer o Cristo que vem nos acontecimentos e nos irmãos; a conversão, procurando consertar os próprios caminhos e andar nos caminhos do Senhor, para seguir Jesus em direção Reino do Pai; o testemunho da alegria que Jesus traz, através de uma caridade paciente e carinhosa para com os outros; a pobreza interior, de um coração disponível para Deus, como Maria, José, João Batista, Zacarias, Isabel; a alegria, na feliz expectativa do Cristo que vem e na invencível certeza de que Ele não falhará.