domingo, 27 de dezembro de 2015

SAGRADA FAMÍLIA

JESUS, MARIA E JOSÉ. 
Uma família 'sagrada', não por estar isenta ou livre das humanas preocupações e dificuldades, mas sim por ter acolhido a 'graça' e a iniciativa de Deus. Um exemplo para as nossas famílias, a de cada um, e um conforto, porque as diferenças que são inerentes a cada membro não são razão para individualismos ou desavenças permanentes. Há muitas coisas que se resolvem na família quando se aceitarem os limites do outro e se perceber que Deus nunca coloca ninguém ao nosso lado ao acaso, mas sempre por 'dom'. Como diz, de maneira brilhante, o Papa Francisco todos os dias cometemos injustiças, uns contra os outros, devido à nossa fragilidade e ao nosso egoísmo. No entanto, o que se nos pede é que curemos imediatamente as feridas que causamos uns aos outros, que voltemos a tecer imediatamente os fios, que dilaceramos em família. Se esperarmos demasiado tempo, tudo se tornará mais difícil. E há um segredo simples para curar as feridas e resolver as acusações. É este: não deixar que o dia termine sem pedir perdão, sem fazer as pazes entre marido e esposa, entre pais e filhos, entre irmãos e irmãs, entre nora e sogra! Se aprendermos imediatamente a pedir e a conceder o perdão recíproco, as feridas curam-se, o matrimónio fortalece-se e a família torna-se um lar cada vez mais sólido, que resiste aos abalos das nossas pequenas e grandes maldades. E para isto não é necessário pronunciar um grande discurso, mas é suficiente uma carícia: uma carícia e tudo acaba e recomeça. Nunca termineis o dia em guerra (Papa Francisco, Audiência, 4.11.2015)!

Confiemos à Sagrada Família a afeição da nossa vida e deixemos que ela nos inspire atitudes e gestos de louvor e gratidão.



sábado, 26 de dezembro de 2015

NATAL EM MIRA DE AIRE-24DEZ Ruas e acender do fogo!

Como alguém dizia: noite de Natal, em Mira de Aire, é na rua! Partilham-se alguns momentos da noite vespertina de Natal.

https://www.youtube.com/watch?v=LeCNoZGE5NQ&feature=share


quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

SOLENIDADE DE NATAL 2015


UMA MÚSICA E UMA MENSAGEM DE NATAL

Neste Natal, a maternidade divina de Maria transforma-se em vida humana, para nos elevar à dignidade de 'filhos' de Deus' que somos, desde o nosso nascimento. O Filho veio ao meio de nós para nos 'iluminar' com a sua Palavra e a Sua vida.
Abaixo está a tradução dum belo canto a Maria, que, afinal, é um acto de reconhecimento do Seu Filho.
Escute-se esta bela música neste belo dia, para sentir a alegria que está bem para além das nossas, algo 'mesquinhas', coisinhas de Natal.
Deus Pai nunca desiste de nos amar... qualquer que seja a nossa atitude! Espera sempre... porque Eterno é o seu amor!
Santo e Feliz Natal
-----

Maria, você sabia que o seu bebê um dia irá andar sobre as águas?
Maria, você sabia que o seu bebê irá salvar nossos filhos e filhas?
Você sabia que o seu bebê vem para refazê-la?
Esta criança que você acolhe, em breve a acolherá

Maria, você sabia que o seu bebê dará visão a um cego?

Maria, você sabia que o seu bebê vai acalmar uma tempestade com a mão?
Você sabia que o seu bebê anda onde os anjos pisaram?
Quando você beija o seu pequeno bebê, você beija a face de Deus

Maria, você sabia?

O cego enxergará
O surdo ouvirá
E o morto viverá novamente
O coxo saltará
O mudo vai falar
os louvores do Cordeiro

Maria, você sabia que o seu bebê é o Senhor de toda a criação?
Maria, você sabia que o seu bebê um dia irá governar as nações?
Você sabia que o seu menino é o Cordeiro perfeito dos Céus?

Esta criança dormindo que você está segurando
É o grande Eu Sou!
------
link

https://www.youtube.com/watch?v=ifCWN5pJGIE

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

CONCERTOS DE NATAL

ALCARIA- na Igreja de de Nossa Senhora dos Prazeres (paroquial), em Alcaria, promovido pela União das freguesias de Alvados e Alcaria.

MIRA DE AIRE - na Igreja de Nossa Senhora do Amparo (paroquial) em Mira de Aire, promovido pelo Grupo Coral 'Gaudia Vitae' (em colaboração com os Quarentões )


sábado, 28 de novembro de 2015

Palavras Soltas: Advento de misericórdia

ADVENTO E MISERICÓRDIA
Duas palavras. Uma concordância perfeita para a vida. 
O tempo - o ano litúrgico - que se inicia projecta-nos para o futuro, assim como o perdão nos lança numa vida nova. Como diz 'Francisco', o Santo Padre, «o perdão é uma força que ressuscita», mas é uma força a partir de dentro, aquela que, no mundo que habitamos, é ignorada, anulada e riscada da vida. Mas, interrogo-me eu, não é verdade que tudo começa no interior, até a própria vida? Aqui há anos, quando começaram a surgir a primeiras ecografias (do feto no ventre materno), um dos meus mestres (de nacionalidade holandesa), admiradíssimo, saiu-se com esta expressão (que nunca esqueci): 'carramba pah, já temos a fotocópia antes do orriginal'! A graciosidade da expressão revela que 'o futuro está aí', quando menos pensamos, e é por isso fundamental estar atentos e preparados para que ele não nos surpreenda ‘desarmados’ e ‘ocupados em coisas inúteis’.  Embora haja uma vontade estonteante em querer antecipar, prever, certificar, o que é maior que nós, o que ´não nos pertence dominar', não podemos ficar parados, amarrados ao passado, inertes e desconsolados desistentes, como o povo de Deus, 'abotoado' às 'cebolas do Egipto', 'preguiçoso' da novidade e das surpresas que estavam para acontecer! Há quem não se importe de morrer no deserto por não lutar até ao fim pela 'água' que dá vida.
É aqui que, no meu entender, se cruzam, por um lado a expectativa do futuro - a confiança, o desejo da alegria, a tenacidade de não desistir, a vontade de percorrer o caminho - e por outro o modo e a maneira de lá chegar. Advento e misericórdia.
Se quisermos ser mais assertivos, poderemos afirmar que o Advento é o prelúdio da visão da misericórdia de Deus, porque Jesus é esse rosto. Ou, talvez, de modo mais simples, este tempo que agora começamos há-de levar-nos a contemplar o rosto visível – em Jesus de Nazaré -  da bondade e da ternura infinita de Deus Pai. Esse tal Natal, que celebramos em cada ano, só é possível quando a ‘misericórdia’, que é o outro nome da ‘bondade’ e do ‘perdão’, fizerem parte do vocabulário habitual, das atitudes constantes de cada dia!

Conjugando a misericórdia com o Advento poderemos certamente tornar o Ano jubilar que agora começa como um tempo de graça, um tempo ‘novo’.   

I ADVENTO ANO C


FESTAS NOSSA SENHORA DO AMPARO- Mira de Aire


sexta-feira, 6 de novembro de 2015

VÍDEO RESUMO ACTIVIDADES CATEQUESE 2014-2015 Mira de Aire

Só se podem colher frutos quando se semeia e se cuida da semente. 
Eis um excerto de algumas actividade de catequese durante o ano 2014-2015, na paróquia de Mira de Aire.

https://youtu.be/VuAbwEmUT2g

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Sociedade de Maria Monfortina

A ler, para quem desejar conhecer um 'pouquinho', apenas breves notas, sobre os Missionários Monfortinos, fundados por São Luis Maria de Montfort.
Artigo extraído da publicação diocesana, Leiria-Fátima, jornal 'PRESENTE'.
Sociedade de Maria Monfortina

domingo, 4 de outubro de 2015

UMA CARTA AOS PAIS E FAMILIARES DA CATEQUESE

no início do ano de catequese
-------------------------------------------

Aos pais e familiares


Caros Pais e familiares do (a)...
H

oje é um dia bem significativo para o (a) vosso(a) filho(a). Espero que estas palavras que vos dirigimos, como sacerdotes e também em nome dos catequistas, possam iluminar e fortalecer a vossa decisão de ‘vir’ e acompanhar o fruto do vosso amor – os filhos - a esta casa, á qual chamamos Igreja. Mesmo que não vo-lo digam e, por vezes, até vos ‘ponham os nervos à flor da pele’ por causa da catequese e da Missa, acreditem que é uma decisão acertada. Em vez de – como infelizmente também vemos aqui na terra – os deixardes andar ‘meios’ perdidos, e ao ‘deus dará’, é muito bom, fazer todo o que vos for possível para lhes permitir este conhecimento dos valores cristãos e da ‘boa nova’ de Jesus. Não tenham medo de ser um pouco exigentes… o importante é caminhar com eles!
P
ermitam-me partilhar convosco as palavras de P. (Card.) Gianfranco Ravasi. Cada um de vós as entenderá e assimilará como bem entender, mas creio que são palavras sábias e que vos podem ajudar a olhar a vida dos vossos filhos ainda com mais atenção e amor, inculcando-lhes valores que sejam ensinados mais com o exemplo do que com palavras: “Os vossos filhos não são vossos filhos. Eles não vêm de vós, mas através de vós, e não vos pertencem, ainda que vivam juntos. Podeis amá-los, mas não constrangê-los aos vossos pensamentos, porque eles têm os seus pensamentos. Podeis guardar os seus corpos, mas não as suas almas: com efeito, elas habitam em casas futuras que vós nem sequer em sonho podereis visitar. O poeta libanês Kahlil Gibran (1883-1931) sabe muitas vezes exprimir de modo leve e vivido alguns sentimentos radicais. É o caso destas linhas extraídas da sua obra mais conhecida, “O profeta”. A pessoa nunca pode ser possuída, nem sequer no caso do filho. Toda a criatura é sempre uma surpresa, fruto da infinita “fantasia” do Criador, ainda que guardando dentro de si a marca fisiológica dos pais. Neste sentido, a educação é, sim, importante, como o é a família. Todavia, o destino de um filho nunca será o fruto puro e simples do contexto em que viveu, nem tampouco a ‘concretização’ dos sonhos e das expectativas dos pais.
Os pais, por isso, comprometam-se com todas as forças para fazer brilhar valores e capacidades dos seus filhos, mas estejam prontos – como Maria e José, ainda que o seu caso tenha sido absolutamente irrepetível – a aceitar o caminho que tomarem, diferente do esperado por eles. E se realizaram o seu dever de guias e educadores, não se culpem angustiadamente perante o fracasso humano e espiritual de um seu filho, conscientes da liberdade e responsabilidade última de cada pessoa”.
Os monges russos, têm uma imagem de Maria que remete para o aconchego: «dizem que nos momentos de angústia espiritual, devemos andar debaixo do manto da Santa Mãe de Deus e assim ela nos acolhe e nos protege e toma conta de nós».
É por isso que também dizemos que a Igreja – da qual todos fazemos parte viva e integrante - é ‘mãe’. E é da maternidade de Maria que nasce a «maternidade da Igreja»: «A Mãe Maria e a mãe Igreja sabem acariciar os seus filhos, dão ternura. Pensar a Igreja sem esta maternidade é pensar numa associação rígida, uma associação sem calor humano, órfã». «A Igreja é mãe e recebe-nos a todos nós como mãe; Maria mãe, a Igreja mãe», maternidade que se «exprime nas atitudes de humildade, de acolhimento, de compreensão, de bondade, de perdão e de ternura». É por isso que ela privilegia a catequese, o encontro com Cristo na Eucaristia, os momentos de convívio e partilha, a oração!
O
 Papa Francisco – de quem certamente gostais bastante  - disse há poucas semanas, «onde há maternidade e vida, há vida, há alegria, há paz, cresce-se em paz»; pelo contrário, quando falta a maternidade «apenas permanece a rigidez, a disciplina, e não se sabe sorrir. Uma das coisas mais belas e humanas é sorrir a uma criança e fazê-la sorrir». Neste Ano, ao qual o Santo Padre resolveu chamar ‘jubilar’ ou ‘Santo’, aproveitem – caros pais e familiares – para saborear até ao máximo a beleza duma fé que tem uma ‘fonte’ – Deus – cheia de ternura e misericórdia. Não se assustem com os fracassos, assustemo-nos sim quando não tivermos a ‘sabedoria’ para os reconhecer e ‘dar a volta’, nem que para isso seja útil e belo passar pela ‘porta santa da misericórdia’. Ireis ouvir falar disto várias vezes e, com os vossos filhos, podereis experimentar pessoalmente a profunda alegria de ser instrumentos de vida nova.

N
 O início deste ano proponho, a vós e a toda a nossa comunidade, duas coisas: não deixem apenas à (ao) catequistas a tarefa de educar na fé e conversem com eles, sem receio, sempre com a consciência de que eles, os catequistas, não são ‘peritos’ ou substitutos, mas apenas (e já é muitíssimo) cristãos que dão algum do seu tempo e da sua sabedoria na fé!  

ASSEMBLEIA E BÊNÇÃO CENTRO PASTORAL DIOCESANA

4 de Outubro de 2015
UMA ASSEMBLEIA QUE TAMBÉM FOI UMA BÊNÇÃO

Com uma presença bem numerosa, que encheu por completo o ginásio do edifício do Seminário Diocesano, muitos cristãos da diocese de Leiria-Fátima quiserem aderir à convocação que o seu bispo lhes propôs e reuniram-se para escutar e celebrar. Desde as palavras elaboradas e proferidas pelo Pe Gonçalo sobre Maria, ícone da Santíssima Trindade, em que ilustrou de maneira profunda e séria a figura e a missão de Nossa Senhora na história da salvação e na nossa história de vida, até ao anúncio que o bispo da Diocese fez da sua Carta Apostólica e das acções a realizar durante este ano pastoral, tudo foi um grande sinal visível e belo da unidade dos cristãos junto do seu Pastor.
Depois do reitor do seminário ter elucidado os presentes sobre os custos e o andamento das obras do edifício, seguiu-se a bênção das novas instalações do Centro Pastoral Diocesana, a visita guiada aos 'novos' espaços e a Eucaristia.
Foi assim uma tarde bem preenchida, para quem teve a coragem de sair um pouco da sua casa  e do seu 'atarefado' tempo...  - mesmo com a atmosfera 'farrusca'  - e, ao mesmo tempo, permitiu a quem lá esteve o reconhecimento duma Igreja unida à volta de Maria, que, como afirmou D. António Marto, 'está sempre perto, não foi para uma 'galáxia'! Ela, como mãe celeste pode e vem visitar-nos, como aconteceu em Fátima'.






INÍCIO CATEQUESE MIRA DE AIRE E SÃO BENTO

No Sábado, dia 3 de Outubro, em Mira de Aire 
e Domingo, dia 4 de Outubro, em São Bento.
As comunidades paroquiais reiniciaram a catequese, São sempre felizes acontecimentos que revelam a vitalidade da Igreja e, com algum esforço e até alguma dificuldade, vai-se 'semeando o feliz anúncio' às crianças, aos adolescentes e aos jovens. Não é tarefa fácil neste nosso tempo, mas anima-nos a certeza de que o tempo entregue e gasto nesta missão não é tempo perdido. Foram belas celebrações, animadas pelos sinais de acolhimento aos que - pela mão dos seus pais (e alguma avó) - entraram pela porta 'grande' da Igreja e foram os 'pequenos grandes' protagonistas destes dias. Foram as crianças do 1º ano. Também foi muito bom ver muitos pais e familiares partilhar este início com os filhos, netos, irmãos. 
Agora é tempo de acompanhar em cada semana, com o auxílio dos 'generosos' catequistas, cada um deste pequenos, seja no testemunho da vida seja no encontro eucarístico. 
Vamos em frente... com a ajuda de Deus e da 'mãe da ternura e da misericórdia', Maria. 

MIRA DE AIRE







SÃO BENTO