DESTAQUE

SÃO BENTO VISITOU A SUA TERRA

No domingo de Pascoela e da Divina Misericórdia, São Bento desceu do seu altar, na Igreja Paroquial, e visitou todos os lugares da freguesia...

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

SOLENE COMEMORAÇÃO DOS 100 DA RESTAURAÇÃO DA DIOCESE DE LEIRIA-FÁTIMA

Caríssimos Diocesanos,

A nossa querida Diocese de Leiria-Fátima celebra, ao longo deste ano pastoral, o centenário da sua restauração, que aconteceu precisamente a 17 de janeiro de 1918 através da bula Quo Vehementius, de Bento XV. A decisão do Papa serviu, ontem como hoje, para corresponder às novas exigências pastorais da Igreja, a saber: incremento da fé cristã, anúncio do Evangelho, maior proximidade ao povo, à sua vida e à sua história.

As grandes datas da vida das pessoas, das famílias e dos povos merecem e devem ser evocadas e festejadas, enquanto celebração da nossa vida e da nossa história. Por isso, estamos a celebrar um Ano Jubilar do centenário da restauração da Diocese.

Para comemorar tão significativo acontecimento, entre outras atividades programadas e já anunciadas, vamos agora realizar:

     -  Um concerto comemorativo no dia 20 de janeiro de 2018, sábado, às 21 horas, na Sé de Leiria, com a Banda Sinfónica da Associação de Bandas do Concelho de Leiria, que interpretará músicas do Cónego Carlos da Silva;

     - A celebração de uma missa solene de ação de graças no dia 21 de janeiro de 2018, domingo, às 16 horas, também na Sé de Leiria, com a presença de Bispos de outras Dioceses, de Presidentes das Câmaras representantes das autarquias municipais e de outras autoridades.

Por este motivo, venho convidar todos os diocesanos a estar presentes, na medida do possível, nestes dois eventos como sinal de comunhão afetiva com a nossa Igreja diocesana.

† António Marto,
Bispo de Leiria-Fátima



segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

PEREGRINAÇÃO VICARIAL À SÉ DA DIOCESE DE LEIRIA-FÁTIMA

7 DE JANEIRO (EPIFANIA DO SENHOR)
O previsto frio de arrepiar não amedrontou os que alinharam nesta 'descoberta' pela cidade do Lis... antes pelo contrário, tornou mais fortes os que tiveram a coragem de sair - de manhãzinha - do quentinho do 'vale dos lençóis'! Alguns não foram capazes de dar 'o salto', outros não puderam! Afinal, o frio nem foi assim tanto, a 'caminhada' movimentada pela descoberta de lugares bonitos e - na maior parte - desconhecidos ajudou a desentorpecer os músculos e, o mais importante, o sol radioso iluminou a cidade e deu mais beleza, alegria e sentido aos 'passos' percorridos! Cerca de 400, entre crianças, adolescentes jovens, percorreram a cidade, numa 'descoberta' dos templos (igrejas) de Leiria, que quase ninguém conhecia. Nesse sentido foi o dia 'riquíssimo', pela alegria transbordante própria dos mais pequenos e dos jovens e pela dimensão cultural que envolveu. 
Após o almoço, bem merecido, depois dos Kms percorridos, junto ao Centro Pastoral, deliciámo-nos com uma excelente representação teatral, que versou sobre as personagens, as dificuldades e a dinâmica da Restauração da Diocese a 17 de Janeiro de 1918. Pelo sentido histórico, pela graciosidade com que o fizerem, um bem haja aos actores e aos que levaram por diante esta iniciativa, também lúdica, que fez com que até os mais piquenos 'não tirassem os olhos do palco'!
Para o fim o melhor, é sempre assim. Depois de uma alegre caminhada entre o Seminário (Centro Pastoral) e a Sé, já com a presença de bastantes pais e outros cristãos das paróquias da Vigararia, fomos acolhidos pelo Sr. Bispo no Largo que dirigiu uma saudação a todos e guiados pelos estandartes das várias comunidades entrámos dentro da Igreja Mãe da Diocese (Sé Catedral) para a conhecermos melhor e ali celebrarmos, com fé, devoção e respeito a Eucaristia. Esse foi o acontecimento final e central da nossa peregrinação, em que, sob a presidência do Sr. Bispo (D. António Marto) e ao som do grupo Coral da paróquia de Alvados, nos unimos no louvor, na gratidão, oferecendo assim 'o presente da nossa presença' ao Deus Menino que foi visitado neste dia pelo Sábios (do oriente).
Creio que dos que participaram ninguém pode dizer que foi 'tempo perdido', foi sim um feliz encontro de comunidades junto à 'fonte' visível da nossa Igreja Diocesana. O 'calor' da fé venceu claramente 'o frio' metereológico.
Eis algumas provas do dia!