DESTAQUE

INSCRIÇÃO E RENOVAÇÃO NA CATEQUESE

  ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- FORMULÁRIO P...

sexta-feira, 31 de dezembro de 2021

PROPOSTAS CELEBRATIVAS PARA A SOLENIDADE DA SANTA MÃE DE DEUS E EPIFANIA

ORAÇÃO PARA O INÍCIO DA REFEIÇÃO EM FAMÍLIA



-----------------------------------------------------------------------------



LITURGIA FAMILIAR PARA A SOLENIDADE DA EPIFANIA

(para quem não tem a possibilidade ou a oportunidade de participar nas celebrações da comunidade)

 

EPIFANIA DO SENHOR - LITURGIA EM FAMiLIA

 

SAUDAÇÃO
A Luz do Natal brilha em Belém, para os judeus que esperavam o
Messias, mas chega mais longe, vai até aos confins da terra, tornandose Cristo, verdadeira luz dos povos. A Epifania, a festa da manifestação
aos gentios, é o Natal em grande, o Natal à escala universal.
Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.
TODOS: Ámen.
 
 
ACENDEMOS A VELA
Acendemos as velas da coroa florida. Evocamos com este sinal a
grande luz que resplandece sobre nós e é Jesus Cristo.
Dá-nos, Deus feito Menino, olhos de pequenino, mãos benignas,
pezinhos de lã, coração mansinho, para nos abeirarmos do mistério
sagrado do coração humano onde tu nos habitas.
 
ACOLHEMOS A PALAVRA
 
LEITURA DO SANTO EVANGELHO SEGUNDO SÃO MATEUS
Tinha Jesus nascido em Belém da Judeia, nos dias do rei Herodes, quando
chegaram a Jerusalém uns Magos vindos do Oriente. «Onde está –
perguntaram eles – o rei dos judeus que acaba de nascer? Nós vimos
a sua estrela no Oriente e viemos adorá-l’O». Ao ouvir tal notícia, o rei
Herodes ficou perturbado e, com ele, toda a cidade de Jerusalém. Reuniu
todos os príncipes dos sacerdotes e escribas do povo e perguntou-lhes
onde devia nascer o Messias. Eles responderam: «Em Belém da Judeia,
porque assim está escrito pelo Profeta: ‘Tu, Belém, terra de Judá, não és
de modo nenhum a menor entre as principais cidades de Judá, pois de
ti sairá um chefe, que será o Pastor de Israel, meu povo’». Então Herodes
mandou chamar secretamente os Magos e pediu-lhes informações
precisas sobre o tempo em que lhes tinha aparecido a estrela. Depois
enviou-os a Belém e disse-lhes: «Ide informar-vos acerca do Menino;
e, quando O encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adorál’O». Ouvido o rei, puseram-se a caminho. E eis que a estrela que tinham
visto no Oriente seguia à sua frente e parou sobre o lugar onde estava o
Menino. Ao ver a estrela, sentiram grande alegria. Entraram na casa, viram
o Menino com Maria, sua Mãe, e, prostrando-se diante d’Ele, adoraramn’O. Depois, abrindo os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes: ouro,
incenso e mirra. E, avisados em sonhos para não voltarem à presença de
Herodes, regressaram à sua terra por outro caminho.
 
PARTILHAMOS A PALAVRA
Deus manifestou-se na carne humana de Jesus, o recém-nascido
adorado pelos Magos. A Epifania condensa o mistério do Natal: Deus, ao
assumir a nossa humanidade, revela-nos o amor sem fronteiras, sem
qualquer barreira cultural, étnica, sociológica, política, linguística. A luz e
a vida divinas são património da humanidade.
A luz do Natal faça palpitar e dilatar o nosso coração! Este é o caminho da
nossa plena maturidade: a todos olhar como irmãos, a todos abençoar
com a mesma alegria, a todos oferecer a mesma fraternidade, a todos
abraçar com a mesma confiança, a todos amar como filhos de Deus.
A ‘série’ de Natal, em cinco episódios, mostrou-nos a importância de
cuidar o mistério do ‘ser-filho’ e ‘ser-criança’ com o olhar fixo no Deus
Menino: «Se não vos tornardes como este Filho».
A vida já não é só a realidade fisiológica que tem na morte o último
suspiro, é o sinal visível do amor de Deus que se faz carne no seio de uma
mulher. O mistério da Incarnação é ponto de partida para que cada um
de nós aprenda a (re)nascer como filho de Deus e a ‘incarnar’ o amor na
relação com os outros, rumo à plena maturidade.
Com a Epifania – que significa ‘manifestação’
– há de ser recordado para sempre que todos
«recebem a mesma herança, pertencem
ao mesmo corpo e participam da mesma
promessa». Jesus Cristo não veio para alguns,
mas para todos.
 
APRESENTAMOS AS NOSSAS PRECES
Na solenidade da Epifania, em que Jesus Cristo Se manifestou como Luz
de todos os povos, confiemos ao Senhor as nossas preces, invocando:
 
Deus connosco, faz-nos irmãos no teu amor!
 
 > Porque queremos ser uma Igreja sinodal, em que todos caminhamos
juntos, na procura do bem e da verdade, nós te pedimos: TODOS: Deus...
 > Porque queremos políticos e cidadãos capazes de pensar e de gerar
um mundo aberto, no acolhimento da diversidade e na partilha dos
próprios dons, nós te pedimos: TODOS: Deus connosco, faz-nos irmãos...
 > Porque queremos um intercâmbio fecundo de dons, que nos faça viver
uma gratuidade fraterna, que não mede o que dá e que dá tudo o que
tem sem esperar nada em troca, nós te pedimos: TODOS: Deus connosco...
 > Porque queremos viver um amor universal, para a construção de uma
vida plena, nós te pedimos: TODOS: Deus connosco, faz-nos irmãos...
 > [acrescenta a tua intenção],
 
Filhos de Deus, irmãos em Jesus Cristo, rezamos:
[TODOS:] Pai nosso...
 
ASSUMIMOS UM COMPROMISSO
Aprendamos dos Magos a procurar juntos o caminho a seguir, a
perguntar e a escutar, diálogo que permita discernir juntos o que o Espírito
Santo diz à nossa família e à Igreja. Deixemos que os Magos nos sirvam de
modelo também para o diálogo com outros crentes, com outras culturas,
com os não crentes e com todas as pessoas de boa vontade.
Bendigamos o Senhor! TODOS: Graças a Deus!
 ------------------------------------------


BÊNÇÃO DA FAMÍLIA E DA MESA [PARA REZAR ANTES DA REFEIÇÃO EM FAMÍLIA]
Senhor Jesus, Luz do Mundo: este tão belo tempo do Natal e as duras
restrições da pandemia, permitem-nos estar mais dentro de casa
e à volta da mesa. Que não seja para nós um sacrifício, motivo de
tristeza, mas refúgio no meio da tempestade, uma oportunidade de
caminharmos juntos, na busca da beleza do amor e da verdade. Ámen


SANTA MÃE DE DEUS - Cartaz e pensamento