segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

JANEIRAS, lindas Janeiras de Mira de Aire

Não posso testemunhar a parte final em primeira pessoa..., mas creio que, mesmo assim, posso afirmar que a palavra 'Janeiras' exprime um sentimento muito 'sui generis' (especial) em Mira de Aire. Não me parece haver especial ciência sociológica ou fenómenos estranhos aqui envolvidos, mas há algo que 'paira' no ar e que se respira desde o princípio, com um gesto bonito na Casa Abrigo São José, em que também as lágrimas (talvez da saudade, mas certamente de alegria, dos mais velhinhos) comoveram e admiraram os quarentões e amigos que ali marcaram o começo duma noite 'janeireira', que terminou só pelas 'tantas' da madrugada! E depois o começo mais oficial, já com a 'banda' de músico formada a rigor, no Largo da Igreja, foi como dizia alguém ali: 'avassalador'! E depois foi só continuar com a música, a confraternização
'Desde o princípio'... até ao fim! A rua principal da Vila enche-se não de transeuntes, mas de 'janeireiros', que, nesta noite, primam pelas suas fardas características, sem pressas, com um ginginha, ou umas 'misturas' saborosas (daquelas que aquecem...)
À vila de Mira de Aire acorreram muitos outros vindos da terras vizinhas, mas também da Suiça (pelo menos uma vi eu), de Coimbra, do Covão do Coelho...e certamente de muitos outros sítios, aqui não descritos! Os Q'78 esforçaram-se com afinco e empenho... e cantaram, até à desgarrada! Muitos outros quarentões, 'orgulhosos' das suas capas foram surgindo de um e doutro lado até ser formar uma 'pequena multidão'. 
Gosto de referenciar estes momentos, assim, que vão criando a tal 'marca registada'! Também espero que muitos dos presentes se sintam juntos noutras 'alegrias', também geradoras e criadoras de comunidade, talvez 'alegrias mais sérias', mas certamente significantes na vida!
P Luis
























A DIOCESE DE LEIRIA: UM CENTENÁRIO PARA O FUTURO

Acreditamos que é assim que se celebra com júbilo, profunda alegria e imensa gratidão, a festa do CENTENÁRIO DA NOSSA DIOCESE DE LEIRIA( hoje Leiria-Fátima). Com a música, bem orquestrada pelas bandas e com acontecimento solene que encheu 'à pinha' o espaço eclesial da Sé de Leiria. No simbolismo da unidade, do centro e da fonte, está o grande motivo para nos alegrarmos todos: os que participaram mais de perto e os que, porventura, não tiveram essa sorte, graça, ou vontade! Embora a efeméride tenha sido oficialmente no dia 17 de Janeiro, eis que muitos nos congregámos do dia do Senhor, 21 de Janeiro.
Perante muitas e muitas centenas de cristãos, muitos sacerdotes, vários bispos e outros dignos presentes, o nosso bispo, agraciou-nos com uma 'sentida' reflexão sobre o sentido de viver a alegria em Igreja (na diocese). É bom ainda referir o gesto simbólico - proclamado pelo nosso bispo - da vontade de celebrar a FESTA DA FÉ (de 15 a 17 de Junho) na cidade de Leiria, para todos os cristãos da Diocese. E cada paróquia, uma a uma, receberam a bandeira e o testemunho dessa mesma festa, que agora começa a ser preparada por todos, no sentido de fazermos dela um 'marco decisivo' na cidade. Esperamos 'invadi-la', nesses dias, com os sinais da paz e da alegria da fé! Para isso vamos tentar todos pôr o nosso cunho!
Já na noite anterior se rejubilou com a execução musical de várias partituras de um eminente sacerdote (músico) da diocese: o P. Carlos Silva.
Felicidades a nós todos, e quem dera que todos sentissem esta íntima comunhão que nos irmana em família cristão, em Igreja, em Diocese. 




ALVADOS- Festa da Padroeira (2 de Fevereiro)


III DOMINGO COMUM B