domingo, 1 de setembro de 2019

XXII COMUM C - Uma reflexão a partir da Palavra...

XXII TC: «…alguém mais importante do que tu…»​​-Ano C
Importante… Aquele Ser que nos dá uma felicidade tal, que somos capazes de tudo para o ter ao nosso lado!
Importância… Aquilo que damos a algo em todos os momentos do nosso viver!
Importa… Aquela resposta que proferimos quando nos interrogam sobre o que faz a diferença no nosso dia-a-dia!
Cada um de nós pesa, mede e sente a importância desse alguém, desse sentimento ou desse bem
que nos faz correr… que nos faz sorrir… que nos faz ambicionar…
E que seja sempre com um grau elevado de humildade!
Temos a desagradável forma de olhar para “os importantes” e de sentirmos que são maiores do que nós.
A verdade é que só o são, quando não se sentem assim tão importantes.
É preciso regar a semente do bem e da generosidade
com aquela água pura que faz crescer a admiração e não o medo:
«A desgraça do soberbo não tem cura, porque a árvore da maldade criou nele raízes.»
Deus criou-nos semelhantes a Ele, a todos sem distinção, com aquele coração forte e capaz de servir o outro,
apenas porque: “SIM! Eu quero estar contigo! Eu quero partilhar o teu dia-a-dia!”
É preciso aprender a edificar humildemente uma ponte entre nós, criaturas do Altíssimo,
e o Pai que nos liberta no mundo, para que “Os justos se alegrem na presença de Deus,
exultem e transbordem de alegria” ao professarem com Esperança a Fé no Senhor do Universo:
«Na vossa bondade, Senhor, preparastes uma casa para o pobre.»
Esta pobreza que nasce com cada um de nós, que nos dá a coragem para crescermos em graça,
com a certeza de que Deus não está longe, mas vive ali ao lado,
na criança que chora perdida ao olhar para a televisão,
que exibe um mundo monstro onde impera a guerra e a violência.
É preciso alimentar este desejo de estar perto, de sentir, de tocar Deus… mão na mão, coração no coração:
«Vós aproximastes-vos do monte Sião, da cidade do Deus vivo, a Jerusalém celeste…»
A Felicidade está aqui… e o Paraíso é talhado por mim e por ti que semeamos alegremente a humildade,
num gesto de carinho que é o maior segredo entre mim e quem o recebe! 
Hoje, a Liturgia do 22º domingo do Tempo Comum, do ano C, sussurra-nos ao ouvido uma condição importante,
para que a nossa vida seja um banquete único e memorável, para todos os que o partilham connosco!
Jesus, O Mestre das parábolas, segreda com doçura e frescura,
àqueles que recebem o convite: «…quando fores convidado, vai sentar-te no último lugar…»
àqueles que enviam o convite: «…convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos…»
É tão importante para mim ser o convidado principal!
Ser aquele que todos querem ao seu lado!
«Amigo, sobe mais para cima…»
Esqueço-me tantas vezes de que a minha insignificância leva-me por caminhos mais justos…
É tão importante para mim convidar aqueles que são meus amigos,
que partilham as minhas ideologias e fazem com que eu me sinta bem e importante!
«…serás feliz por eles não terem com que retribuir-te…»
Esqueço-me tantas vezes de que a minha generosidade não pode esperar recompensa…
O segredo que, hoje, Jesus, O Manso e Humilde de coração, quer revelar é a importância da humildade na tua vida!
Se avaliares tudo o que fazes pelos outros, por um mundo mais belo e mais fraterno até…
encontrarás a semente da humildade ou apenas a tua forma de te afirmares como Um Ser Importante?
Sabes, o sem-abrigo com quem partilhaste o almoço deu-te muito mais:
ofereceu-te a oportunidade de seres bom e humilde…
de seres feliz por colocares um sorriso no rosto de um alguém (um sem nome e que não importa)!
E… sabes? Ele é muito mais importante na tua vida, do que tu na vida dele.
Agora, vai! Aceitas o convite do Messias? Então, convida para o teu banquete aqueles que mais precisam de amor!                Liliana Dinis