DESTAQUE

INFORMAÇÕES ÀS COMUNIDADES EM TEMPO DE 'NOVO' CONFINAMENTO- 14 Janeiro 2021

CAROS CRISTÃOS DAS PARÓQUIAS DE ALVADOS, MIRA DE AIRE E SÃO BENTO Reenviam-se as informações da Conferência Episcopal Portuguesa, acabadas d...

quinta-feira, 30 de maio de 2019

ROGAÇÕES - Quinta-feira da espiga (da Ascensão)

Há bons anos atrás era feriado geral (em todos o país), hoje cerca de 31 concelhos mantém este dia como feriado Municipal. 
Há convívios em muitos recantos e cantos verdejantes do país. Boa parte das escolas propõem um dia com e na natureza, com os famosos 'raminhos', compostos da várias flores (seriam espigas, mas elas não abundam em certos meios...) A pequena 'colheita' tem um espírito convivial e de reconhecimento dos dons que a natureza nos oferece! 
Uma busca mais atenta até identifica o sentido desse 'ramo' nos seus vários componentes. Na verdade, às várias plantas que compõem o ramo da espiga era dado um significado e um valor simbólico, profano e religioso, que não diz mais que os nossos mais simples e naturais desejos:
Espiga – O pão que mata a fome e nos faz Livres;
Malmequer – O ouro e a prata, o dinheiro, que tantas vezes nos encandeiam;
Papoila – O Amor que é vida e nos faz SER Gente entre Gente, com Gente;
Oliveira – A luz que anuncia o DIA. Uma Boa Notícia de Esperança;
Videira – O vinho da Alegria e da Festa;
Alecrim – A Saúde, a Sabedoria, a Fortaleza do Espírito.
Creio que hoje, boa parte das crianças e adultos que apresentam o raminho nem sabem este sentido, bem profundo! 
A origem da tradição deste dia não é conhecida por todos. Até pode parecer estranha para muitos. É, entretanto, uma tradição bastante comum no Centro e Sul do país, tendo no Norte uma outra com a mesma origem, mas que se centrou no Maio ou na Maia, flor amarela ou branca que embeleza os ramos das giestas e perfuma os outeiros, em tempo primaveril. Nela se celebra a primavera e se consagra a natureza. É preciso ir ao passado muito remoto, aos usos muito comuns nas populações campestres que celebravam a deusa Flora, nos inícios da primavera. Os frutos das searas evidenciavam-se, sobretudo quando as papoilas e os malmequeres abriam pétalas e perfumavam os campos. Não era o tempo do relógio na mão, nem do telemóvel no bolso...
Daqui à dimensão espiritual vai um pequeno passo. Na verdade, nos tempos mais antigos (mesmo assim não muito antigos), neste dia faziam-se preces a Deus e procissões, as quais eram uma súplica e louvor pela dignidade e santificação do trabalho humano, pelos frutos da terra, pelo bom êxito das sementeiras. Chamavam-se a estas preces, as 'Rogações' (pedidos feitos a Deus).
Chamemos-lhe 'Dia da espiga, da Ascensão, das Rogações...' É sempre um dia com sentido e que não se deveria perder, naquilo que tem de essencial, o reconhecimento da 'natureza como belo dom, oferecido e não produzido por mãos humanas'.





segunda-feira, 27 de maio de 2019

A 'CERTEZA' E A 'ESPERANÇA' - na comunidade de São Bento

DIA 12 DE MAIO. IGREJA DE SÃO BENTO
A 'certeza' vem dos que quiseram partilhar, em comunidade - com os outros - a alegria jubilar de 25 e 50 anos em partilha de vida matrimonial. Um belíssimo testemunho de como é possível e belo viver toda uma vida - nas alegrias e tristezas, nos acontecimentos jubilosos e nos menos bonitos, nas agruras e na prosperidade - em comum. Foi um feliz encontro na Eucaristia, na qual se exprimiu a gratidão a Deus pela fé e pelo amor partilhado.
A 'Esperança' dos mais pequenos, do 5º ano da catequese, que extravasam toda a vontade de viver, na alegria dos gestos que realizaram e na bela celebração que proporcionaram aos que quiseram estar presentes e participar na Eucaristia.
A 'Certeza' e a 'Esperança', completaram-se maravilhosamente e dão a toda a vida um sinal inequívoco de como há esperanças que - quando têm raízes sólidas - se tornam certezas inabaláveis. 
















UM 'COMPROMISSO' COM JESUS, CELEBRADO EM COMUNIDADE

No dia 19 em São Bento e no dia 25 de Maio em Mira de Aire, o 9º ano da catequese celebrou a Festa do Compromisso. O título da celebração - o compromisso - revela, em pleno, todo o espírito e conteúdo da mesma. As comunidades tiveram a alegria de participar Eucaristia, que foi envolvida pelas 'dinâmicas' e vivência oferecidas - com beleza - pelos protagonistas do dia. Os gestos realizados, a palavras pronunciadas e os símbolos utilizados levam-nos ao âmago da identidade cristã, como um resposta a quem por nós já se comprometeu para sempre: Jesus e Maria. Felizes os que confiam e dizem um 'sim' a Cristo.


19 de Maio- SÃO BENTO 










                              25 de Maio- MIRA DE AIRE










ALARGAR HORIZONTES (X): Não quero ser um papagaio