DESTAQUE

INFORMAÇÕES ÀS COMUNIDADES EM TEMPO DE 'NOVO' CONFINAMENTO- 14 Janeiro 2021

CAROS CRISTÃOS DAS PARÓQUIAS DE ALVADOS, MIRA DE AIRE E SÃO BENTO Reenviam-se as informações da Conferência Episcopal Portuguesa, acabadas d...

Mostrar mensagens com a etiqueta ESEQUEMAS CELEBRAÇÕES LITÚRGICAS. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta ESEQUEMAS CELEBRAÇÕES LITÚRGICAS. Mostrar todas as mensagens

sábado, 16 de janeiro de 2021

II DOMINGO DO TEMPO COMUM B - ORAÇÃO EM FAMÍLIA


Olá,

Agora que estamos em novo confinamento, não é demais lembrar o dever que temos de cuidar ainda mais uns dos outros. Nas nossas terras de Alvados, Mira de Aire e São Bento, procuremos saber se alguém precisa de nós para algo de mais necessário - especialmente façamos por descobrir os que vivem sós e com justos receios -  (quem sabe se podemos fazer alguma compra, ir ao centro de saúde, ir à farmácia, pagar alguma despesa...). Estejamos atentos, para ver há alguém que não vemos há tempo demais e procuremos saber o que se passa com essa pessoa, com essa família: pode ser uma doença, luto, desânimo, desespero? Ofereçamos ajuda, até mesmo antes que no-la peçam. Também a proximidade e colaboração na comunidade serão certamente sinais claros de que não queremos 'deixar ninguém para trás'. Telefonemos mais uns aos outros. Comuniquemos mais entre nós. Partilhemos, sem vergonha, dificuldades e disponibilidades. Sejamos uma comunidade fraterna. Se todos cuidarmos uns dos outros, quando terminar a pandemia muitos voltarão à vida comunitária, porque alguém se lembrou deles, quando não puderam ou não quiserem vir. Como disse o Papa Francisco no início deste ano: este é o tempo mais evidente para cuidarmos uns dos outros.

Com a pandemia, percebemos mais claramente
"que talvez a primeira catequese
seja a que é feita em casa, pelos pais, avós, tios, irmãos.
Temos a oração da Eucaristia,
mas há também a oração da manhã, da noite,
antes das refeições e o terço, entre outras.
É um desafio a redescobrir a oração doméstica,
a promover uma autêntica espiritualidade familiar
e levar a sério a Liturgia da Palavra em casa.
São João Crisóstomo, dirigindo-se aos pais de família, dizia:

«Com a vossa mulher e os filhos
repitam juntos a Palavra escutada na Igreja.
Voltem a casa e preparem duas mesas,
uma com os pratos para a comida,
a outra com os pratos da Escritura (…),
façam da vossa casa uma Igreja»
------------------------------------------------------------------------------------------------
PROPOSTA PARA 10 MINUTOS DE ORAÇÃO NO DIA DO SENHOR
(em família)

Vamos-lhe dar um título: FICAR COM O MESTRE

SAUDAÇÃO 
Aquele que Se manifestou no Presépio e no Jordão, como Deus feito Homem, nosso Irmão, é agora indicado por João Batista aos seus discípulos como «o Cordeiro de Deus». Na humildade da sua entrega, o Mestre chama-nos a segui-l’O, de corpo e alma. Aquele Jesus, que contemplávamos como o Eleito e o Ungido do Senhor, somos agora chamados a deixá-l’O crescer dentro de nós e a segui-l’O na nossa vida quotidiana e familiar. Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. 
TODOS: Ámen. 

PEDIMOS PERDÃO
 Porque muitas vezes, a rotina da nossa prática religiosa e os ruídos à nossa volta, nos impedem de escutar e de discernir a voz do Senhor, que está à porta do coração e nos chama a entrar na sua morada, invoquemos a sua misericórdia. 

> Palavra do Pai: Senhor, misericórdia! 
TODOS: Senhor, misericórdia! 

> Mestre da Verdade: Cristo, misericórdia!
 TODOS: Cristo, misericórdia! 

> Cordeiro de Deus: Senhor, misericórdia!
 TODOS: Senhor, misericórdia!

 ACOLHEMOS A PALAVRA 
[Ver/ouvir a primeira parte do vídeo/audio disponível no Laboratório da fé; Quem não tem acesso aos meios digitais pode ler o texto da folha em anexo] 

LEITURA DO SANTO EVANGELHO SEGUNDO SÃO JOÃO [capítulo 1, versículos 35 a 42] 

Naquele tempo, estava João Batista com dois dos seus discípulos e, vendo Jesus que passava, disse: «Eis o Cordeiro de Deus». Os dois discípulos ouviram-no dizer aquelas palavras e seguiram Jesus. Entretanto, Jesus voltou-Se; e, ao ver que O seguiam, disse-lhes: «Que procurais?». Eles responderam: «Rabi – que quer dizer ‘Mestre’ – onde moras?». Disse-lhes Jesus: «Vinde ver». Eles foram ver onde morava e ficaram com Ele nesse dia. Era por volta das quatro horas da tarde. André, irmão de Simão Pedro, foi um dos que ouviram João e seguiram Jesus. Foi procurar primeiro seu irmão Simão e disse-lhe: «Encontrámos o Messias» – que quer dizer ‘Cristo’ –; e levou-o a Jesus. Fitando os olhos nele, Jesus disse-lhe: «Tu és Simão, filho de João. Chamar-te-ás Cefas» – que quer dizer ‘Pedro’. 
[Ver/ouvir a segunda parte do vídeo/audio...] 

escutemos esta meditação: A PALAVRA ECOA EM NÓS...

PARTILHAMOS A PALAVRA 
As primeiras palavras de Jesus Cristo, no evangelho segundo João, têm a forma de uma pergunta: «Que procurais?». Uma pergunta que, mais tarde, ao iniciar o discipulado pascal, o Ressuscitado repete a Maria Madalena: «A quem procuras?» (João 20, 15). A pergunta abre o caminho que envolve cada um de nós, desde aquele primeiro encontro ao encontro pascal com Maria Madalena. E chega a nós com a mesma força e intensidade: «Que procurais?». Os dois amigos de João Batista querem saber onde mora, respondem com outra pergunta, o que denota interesse, a tal curiosidade necessária para dar início a uma amizade. Jesus Cristo lança-lhes um convite: «Vinde ver». Chama-os a conhecer o seu estilo de vida e, assim, iniciar novo relacionamento: o discipulado. Não propõe uma relação de tipo intelectual, como tirar notas e ir-se a pensar nelas. A amizade é a base do discipulado cristão, ontem e hoje. Convida a ir ver para ficar, não um ‘ver’ passivo, mas a deixar-se gerar, abrir a possibilidade de mudança na maneira de ser e de estar no mundo. A história dos primeiros discípulos é, afinal, a nossa história. Pensa na tua história de cristão, no modo como te tens relacionado com Jesus Cristo. Seja qual for o teu percurso, permite hoje que se torne numa história de encontro capaz de deixar uma marca no teu coração, capaz de mudar a tua vida. No momento certo, lhe dirás: «Mestre, onde moras?», ou seja, «Quero ficar contigo».

APRESENTAMOS AS NOSSAS PRECES 
Senhor, nosso Deus, em ti esperamos com toda a confiança. Por meio do Filho, Cordeiro e Senhor, apresentamos as preces do teu povo suplicante, dizendo: Fala, Senhor, que o teu servo escuta! 
> Pela Santa Igreja: saiba pôr-se à escuta, para sair, ver e chamar os que te procuram de coração sincero. Oremos! 
TODOS: Fala, Senhor...! 

> Pelos que governam: sejam capazes de ouvir o grito da Terra e o grito dos pobres, no cuidado pelos mais frágeis. Oremos! 
TODOS: Fala, Senhor...! 

> Por todos os ministros e servidores da nossa comunidade paroquial: não sejam simples agentes voluntários, mas se tornem verdadeiros discípulos de Jesus, capazes de O procurar, de O escutar, de O seguir e de O servir, em todos os lugares da sua existência. Oremos! TODOS: Fala, Senhor...!

> Pela nossa família: seja lugar de comunhão e de oração, escola do Evangelho e pequena Igreja Doméstica. Oremos! 
TODOS: Fala, Senhor...! 

 > [acrescenta a tua intenção]. Oremos! 
TODOS: Fala, Senhor...! 

Unidos a Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus, rezemos a oração que ele nos ensinou: 
[TODOS:] Pai nosso... 

ASSUMIMOS UM COMPROMISSO 
Preparemos o próximo Domingo da Palavra, criando, aqui em casa, um espaço digno, para a entronização da Bíblia, à volta da qual nos reuniremos, ao menos, uma vez por semana, para celebrar a ‘liturgia familiar’ e acolher o Evangelho. Que este exercício nos torne ‘aprendizes’ de discípulos, prontos a ir ao encontro para ficar com o Mestre. 
Bendigamos o Senhor! 
(Se for possível vamos também seguir a meditação diária no blog ou no facebook paroquial:  https://mialsb.blogspot.com/ )
TODOS: Graças a Deus! 

BÊNÇÃO DA FAMÍLIA E DA MESA [PARA REZAR ANTES DA REFEIÇÃO EM FAMÍLIA] 
Senhor Jesus Cristo, habitas o nosso coração e fazes da nossa casa a tua morada permanente. Tu és a Luz acesa sobre a nossa mesa. Abençoa-nos com a alegria do amor. E seremos uma família aberta e generosa, para com os irmãos que mais precisam. Ámen

------
[anexo à liturgia familiar]

ACOLHEMOS A PALAVRA 

 [primeira parte do vídeo/audio] 
O discipulado nasce de um encontro! «Que procurais?». A missão do Mestre desperta a vocação dos (futuros) discípulos. «Eles foram ver onde morava e ficaram com Ele nesse dia». Deus conta com a colaboração humana para realizar os seus planos. Convoca e espera, com paciência, a generosidade da resposta que faz cumprir as suas palavras: «Falai, Senhor, que o vosso servo escuta». Deus toma a iniciativa, aproxima-se, chama pelo nome, insiste uma e outra vez, sem desanimar. Mas o consentimento é essencial, porque a resposta precisa de ser livre e assumida: «Assim o quero, ó meu Deus, a vossa lei está no meu coração». Esta íntima relação é sustentada e fortalecida pela presença ativa do Espírito Santo: «Aquele que se une ao Senhor constitui com Ele um só Espírito». 

[segunda parte do vídeo/audio] 
«Que procurais?». Há perguntas que podem mudar a vida! Uma delas é a que Jesus Cristo dirigiu aos amigos de João Batista. São as primeiras palavras que o evangelista coloca na boca do Mestre. A mesma interpelação dirige-se hoje a mim e a ti. Na normalidade da vida, Jesus Cristo vem ao nosso encontro e pergunta: «Que procurais?». De facto, é nos caminhos da existência quotidiana que o Mestre vem ao nosso encontro! «É Jesus que toma a iniciativa. Quando tratamos algo com Ele a pergunta é sempre invertida: de interrogantes tornamo-nos interrogados, de ‘procuradores’ passamos a ‘procurados’» (João Paulo II). Aqueles aprendizes de discípulos, «ficaram com Ele nesse dia». Qual é a tua decisão?

 

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

FESTA DO BAPTISMO DE JESUS. ORAÇÃO EM FAMILIA



Nestes tempos em que o confinamento e o cuidado são necessários para a maior parte dos cristãos, aproveitemos os recursos e sugestões que nos são oferecidas e facultadas.

A proposta é rezar juntos, em família, para que o domingo, o Dia do Senhor, fique preenchido com o louvor, a súplica e a gratidão, pelo dom da fé

Em família rezemos algum tempo 


Texto:  BAPTISMO DE JESUS. ORAÇÃO EM FAMILIA


Uma meditação em vídeo:  FILHOS DE DEUS


Bom domingo da Festa do Baptismo de Jesus.

sábado, 2 de janeiro de 2021

LITURGIA FAMILIAR PARA A SOLENIDADE DA EPIFANIA

Envia-se uma proposta nova, para a solenidade da Epifania ( Dia de Reis).

Que ninguém fique a olhar, sem nada mexer na sua vida e na sua fé.

Não corramos o risco de apenas nos lamentarmos, sem procurarmos com criatividade enfrentar novos desafios, também na fé.

(O 'cuidado' que devemos ter pode não nos permitir reunir-nos em Igreja, na Igreja, mas isso não pode significar anular ou esvaziar a nossa oração e a nossa fé, por isso aqui fica um breve instrumento para mantermos viva a nossa vivência cristã)

---------------------

A celebração da Liturgia Familiar
é um bom exercício preparatório
do Ano da Família.
Com o Ano da Família,
a iniciar a 19 de março de 2021,
a Igreja comemora 5 anos da publicação
da exortação apostólica Amoris Laetitia
sobre a beleza e a alegria do amor familiar.
No dia 19 de março
o Papa Francisco
inaugura o Ano "Família Amoris Laetitia",
que terminará em 26 de junho de 2022,
por ocasião do X Encontro Mundial das Famílias
em Roma com o Santo Padre.

.-------------------------

vídeo: SOLENIDADE DA EPIFANIA DO SENHOR

texto: CELEBRAÇÃO EM TEXTO






quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

LITURGIA FAMILIAR PARA A SOLENIDADE DA SANTA MÃE DE DEUS (1de Janeiro2021)

Envia-se uma proposta nova, para um tempo novo e um ano novo que inicia.

Que ninguém fique a olhar, sem nada mexer na sua vida e na sua fé.

Não corramos o risco de apenas nos lamentarmos, sem procurarmos com criatividade enfrentar novos desafios.

(O 'cuidado' que devemos ter pode não nos permitir reunir-nos em Igreja, na Igreja, mas isso não pode significar anular ou esvaziar a nossa oração e a nossa fé, por isso aqui fica um breve instrumento para mantermos viva a nossa vivência cristã)

texto: Liturgia Familiar

vídeo: SOLENIDADE DA SANTA MÃE DE DEUS (liturgia familiar)

Um feliz e santo ano.

A Mãe de Deus e nossa mãe nos protege e esteja atenta aos nossos dias neste novo ano.