DESTAQUE

XXV DOMINGO COMUM B (cartaz e meditação)

 

domingo, 12 de setembro de 2021

XXIV COMUM B- A partir da Palavra

 

XXIV TEMPO COMUM: «Não compreendes… » - Ano B

“A humanidade precisa compreender!”

O maior erro humano é procurar a Fé na sombra da compreensão.

Deus não é um Ser com princípio, meio e fim… Ele é o Alfa e o Omega!
A lógica divina é tão maravilhosa, que a humana é incapaz de alcançá-la.
A ação de Deus em cada coração é tão meticulosa, que as obras falam por si.
Permitir que a Cruz seja um sinal positivo nas nossas vidas, é ser de Deus.
Mas… E quem, entre nós, quer ter (ou mesmo ser) essa sentença?

Meu Deus…
perante a dureza do caminho não resisto, nem recuo,
pois em Ti encontro o meu único auxílio.
Cada gesto meu será para que o Teu Reino se edifique.
Que eu mostre a minha Fé com as minhas obras.
Que eu abrace a minha Cruz e siga Jesus, Teu Filho muito amado…
Aquele que é o Messias!

Hoje, no Evangelho do 24º Domingo do Tempo Comum, do Ano B, o Filho do Homem abre o livro.
Coloca todas as cartas na mesa e não faz bluff
A Liturgia em questão transpira com a pressão dos olhares, das questões, das respostas!
O Profeta Isaías interroga as acções: «Quem é o meu adversário?»
S. Tiago intensifica a dúvida: «De que serve a alguém dizer que tem fé, se não tem obras?»
E O Messias levanta a derradeira questão: «E vós, quem dizeis que Eu sou?»

Estes versículos bíblicos, escritos há mais de 2000 anos, 
apresentam-nos a atualidade nua e crua!

Não reconhecemos a presença de Deus em situações boas e favoráveis da nossa vida.
Quando temos algo ou alguém que compromete a nossa vida é que desejamos a Sua presença…
Devíamos aceitar que o Senhor da Vida vem até nós, sempre. 

O Messias fita-nos nos olhos e quer uma resposta visível…
Ficaste sem palavras? É porque não precisas falar, mas sim fazer! Ir ao encontro, pessoalmente!
Sai do mundo virtual…
as redes sociais são palavras sem obra… são amizade sem abraço, sem beijo e sem entrega…
e Jesus quer saber quem é para ti. Tu… que és Seu Amigo!

“É a tua cruz!”
é a expressão que define um marido infiel, uma má esposa, um filho toxicodependente,
uma doença rara, uma deficiência, a falta de dinheiro, a tristeza profunda,
tudo o que provoca qualquer tipo de dor.
No dia em que esta expressão seja sinónimo de boas obras pelos outros,
o mundo ferido e cansado terá Paz e Alegria sem fim.

Hoje, é urgente aceitar a Cruz que trazemos, gravada no peito, desde o dia em que nascemos.
Cada gesto meu e cada gesto teu definem quem é o Messias na nossa vida.
Jesus faz com que a vida de cada um de nós seja uma Cruz positiva, majestosa e bela,
na vida de quem mais sofre. 

És Baptizado? Então, ousa Ser Cruz…

P.S. Não sabes como?

Pesquisa na net: Obras de Misericórdia (Corporais e Espirituais) e faz delas a tua Cruz!

Liliana Dinis


Sem comentários:

Enviar um comentário