DESTAQUE

BÊNÇÃO DA VIDA NASCENTE (inscrições)

  LINK INSCRIÇÃO

segunda-feira, 31 de outubro de 2022

TODOS OS SANTOS E FIÉIS DEFUNTOS (reflexão)



Dois dias...uma só fé, um testemunho que permanece...
com Jesus Ressuscitado a morte tem sentido

Nos dias 1 e 2 de novembro
a Igreja vive intensamente
a comunhão que reúne no coração de Deus
santos e pecadores, vivos e defuntos,
o céu e a terra, o humano e o divino,
o passado, o presente e o futuro.
Dedicaremos estes dois dias
a procurar um bálsamo para as nossas feridas,
no testemunho de santidade...
a partir do nosso encontro com Cristo vivo. (P, Amaro Teixeira)
São os dias da confiança, no amor que nunca acaba,
no exemplo que permanece para sempre,
na proximidade que perdura, para além os sentidos e do corpo.
Quem esquece perde, que nunca esquece ama eternamente.
O mistério - a grandeza infinita - da vida 
contempla a experiência da fragilidade da morte.
-----------------------------------------------------------------------------------------------

ALARGAR HORIZONTES (CLXXIV) - por onde se vai

 


sexta-feira, 28 de outubro de 2022

SEMANA DE ORAÇÃO PELOS SEMINÁRIOS (30 Out-06 Nov)


Em tempos tão conturbados, de tantas incertezas...pelas vicissitudes que pairam no mundo, na sociedade e na família cristã, na Igreja...muito mais razão temos para rezar pelos seminários. 

------------------------------

Junta-se a mensagem da Comissão Episcopal e uma oração.

MENSAGEM PARA A SEMANA DOS SEMINÁRIOS

30 de outubro – 6 de novembro de 2022

«Não te envergonhes de dar testemunho de Cristo» (cf. 2 Tim 1,8)

A Semana dos Seminários deste ano tem como lema o apelo feito por são Paulo a Timóteo para que não se envergonhasse de dar testemunho de Nosso Senhor, nem dele próprio que estava na prisão. Estas palavras soam a incentivo de um verdadeiro guia espiritual, atento e preocupado com o percurso do seu discípulo, ao mesmo tempo que representam um reforço da confiança nas suas capacidades e no dom recebido de Deus. Para o Apóstolo, este apelo decorria da sua convicção de que Timóteo tinha uma «fé sem fingimento», para a qual tinham contribuído a sua avó e a sua mãe.

Com esta iniciativa, a Igreja pretende, hoje, apelar aos mais jovens para que sejam testemunhas alegres e corajosas de Jesus Cristo e do seu Evangelho. O Papa Francisco disse-o de forma clara e direta na Exortação Apostólica Pós-Sinodal, Cristo Vive: «Jovens, não deixeis que o mundo vos arraste para partilhar apenas as coisas más e superficiais. Tornai-vos capazes de ir contra a corrente e partilhai Jesus, comunicai a fé que Ele vos ofereceu» (CV, 176). Afirmar a fé sem medo ou vergonha, dispor-se a levar a Palavra de Cristo a todos os lugares e ambientes, sendo missão de todos os cristãos, constitui um desafio dirigido especialmente aos jovens. Para alguns, a descoberta desta missão é de tal modo decisiva que se concretiza numa vocação de consagração de toda a vida.

A Igreja deposita uma grande confiança nos mais jovens e o apelo a que sejam capazes de dar um testemunho alegre da fé assenta no reconhecimento das suas capacidades, energia, audácia e criatividade. A todos e cada um, Jesus Cristo, o grande amigo, chama a uma vocação e a alguns concede o dom do chamamento ao ministério ordenado. O fundamental é que nenhum deixe de se interrogar sobre a possibilidade desse caminho ou exclua essa hipótese. Esta questão vocacional assume, muitas vezes, a forma de inquietação interior que permanece até se resolver numa opção que pode ser a de entrar num Seminário.

Neste tema tão importante para a vida da Igreja, os cristãos mantêm sempre a confiança de que Deus continua a chamar para a vida sacerdotal. Com o Papa Francisco, estamos convictos de que «o Senhor não pode faltar à sua promessa de que não deixará a Igreja privada dos pastores sem os quais não poderia viver nem realizar a sua missão. E se alguns sacerdotes não dão um bom testemunho, não é por isso que o Senhor deixará de chamar. Pelo contrário, Ele duplica a aposta porque não deixa de cuidar da sua amada Igreja» (CV, 275).

Esta Semana é momento oportuno para que as Dioceses e Congregações Religiosas, o conjunto da Igreja e a sociedade tomem consciência da realidade atual dos Seminários. Em ambientes eclesiais e no espaço público é notória a falta de conhecimento e reconhecimento acerca da vida dos Seminários. Tantas vezes prevalecem as memórias do passado, os preconceitos, ideias feitas e suposições em detrimento do conhecimento real das pessoas, dos percursos formativos e das situações concretas. Podemos começar, desde logo, pela própria palavra «Seminário», muitas vezes reduzida à identificação de um edifício, esquecendo assim a comunidade humana e cristã que aí vive, constituída por aqueles que estão em caminho de discernimento e formação para o ministério sacerdotal e seus formadores.

Esta é também ocasião propícia para manifestar confiança e apoio aos seminaristas, para que sejam fiéis e empenhados no caminho de seguimento e conformação com Cristo, Bom Pastor. As equipas formadoras merecem igualmente todo o reconhecimento pela sua dedicação nesta missão de grande responsabilidade. No atual contexto social e cultural, qualquer função educativa é exigente, mas a preparação dos padres do futuro, capazes de corresponder às necessidades de uma Igreja em renovação e de um mundo em mudança acelerada, não deixa de ser uma causa nobre e estimulante. Não se pode esquecer ainda o relevante contributo de tantas pessoas que têm parte ativa no processo formativo dos Seminários: professores, colaboradores vários, famílias, comunidades cristãs, incluindo o papel decisivo dos presbitérios.

Queremos pedir que, durante esta Semana, os cristãos, na sua oração pessoal, familiar ou comunitária, rezem de forma mais intensa pelos seus Seminários, invocando o Senhor da messe para que mande operários para a sua messe. A oração não só exprime e reforça a comunhão com os Seminários como é uma forma insubstituível de ajuda espiritual. Além desta ajuda, os Seminários em geral carecem de maior apoio material. Confiamos na generosidade do Povo de Deus para com os Seminários que estão ao seu serviço.

Que Jesus Cristo, Bom Pastor, abençoe os nossos Seminários e todos os que deles fazem parte. E Maria, Mãe da Igreja e são José, padroeiro dos Seminários, os protejam com a sua intercessão.

 +António Augusto de Oliveira Azevedo

Presidente da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios

....................................

ORAÇÃO
 
Senhor Jesus,
que um dia chamaste os primeiros discípulos
e fizeste deles pescadores de homens:
continua hoje a fazer ressoar
nas comunidades, nas famílias e no coração dos jovens
o teu sublime convite: “Vem e segue-Me!”
Faz com que sejam muitos aqueles que, com prontidão,
respondem ao Teu chamamento à vida sacerdotal
e nunca se envergonhem de dar testemunho de Ti.
 
Senhor Jesus,
rogamos-Te pelos nossos seminários e pelos seminaristas,
que ali amadurecem a sua vocação:
dá-lhes um coração generoso e forte
e concede-lhes o ardente desejo de se entregarem
ao serviço de Deus e dos homens.
Ampara-os nos momentos de prova e cansaço
e nunca se envergonhem de dar testemunho de Ti!
 
Senhor Jesus,
guia os formadores dos nossos seminários
com os dons do Teu Espírito de sabedoria e de santidade,
para que com a sua presença amiga
sejam bons companheiros de viagem,
mestres segundo o Teu Evangelho
e nunca se envergonhem de dar testemunho de Ti!
 
Virgem Maria,
rainha dos apóstolos e mãe dos sacerdotes,
acompanha maternalmente os nossos seminaristas,
para que correspondam, sem medo,
à vocação que lhes foi doada por Jesus.
Faz com que também eles possam pronunciar
com alegria e confiança o seu “Eis-me aqui!”,
imitando o Teu luminoso exemplo
e apoiados na Tua materna intercessão.
Recompensa com a tua solicitude os nossos benfeitores
e acolhe no teu colo os que já adormeceram em Cristo.
Ámen!


domingo, 9 de outubro de 2022

A CATEQUESE (RE)COMEÇOU...

Foi em ambiente fraterno, alegre e repleto de confiança que se voltaram a reencontrar os rostos dos mais jovens das comunidades paroquiais de Mira de Aire e São Bento (dia 1 de Outubro) e Alvados (dia 9 de Outubro).

Deu-se início à catequese deste ano pastoral.

O ênfase destas primeiras celebrações foi, sem dúvida, para o acolhimento aos mais pequenos, que pela primeira vez integram a comunidade nesta dimensão da formação na fé e na descoberta de ser família cristã. Foi, na verdade, uma autêntica Festa do Acolhimento.

Na celebração, todos (e cada um) dos presentes - em voz alta - proclamaram o seu compromisso de tornar a catequese uma 'escola' de amizade a Jesus Cristo, de escuta da Palavra da Boa Nova, e de descoberta do amor de Deus na vida dos que o reconhecem como Pai e Senhor.

Em anexo encontramos alguns registos fotográficos: FOTOS


sexta-feira, 7 de outubro de 2022

ASSEMBLEIA DIOCESANA DE LEIRIA-FÁTIMA - 2 de Outubro

 No dia 2 de Outubro, muitos cristãos - de todas as idades - que representaram as comunidades paroquias de toda a diocese (73 paróquias) encontraram-se com o seu bispo. Algumas das nossas paróquias participaram. Esta assembleia marcou assim o início do novo ano pastoral. Foi uma tarde cheia de comunhão, reflexões, amizade e oração. Ali se sentiu o pulsar da nossa diocese  - sabe muito bem quem lá esteve - nos seus projectos para este ano pastoral. Três aspectos fundamentais que não podem passar ao lado de ninguém durante este ano: 
1. continuar a reflectir e a agir em modo 'sinodal'. Vamos continuar, nas paróquias, o caminho que já se iniciou e todos os que quiserem podem participar (mesmo quem não conseguiu participar na etapa anterior).
2. continuar a reflexão sobre a mesa da Eucaristia, especialmente na perspectiva da sua dimensão social, na vivência do amor fraterno, na caridade. A Eucaristia é a fonte para que a água jorre e 'mate a sede' a quem se cruzar no caminho de cada um dos participantes.
3. JMJ2023. Irá merecer a melhor atenção e diligência de todos os cristãos da diocese e de todas as nossas comunidades. Será certamente o acontecimento central e que merece o melhor de nós, para que esse encontro, esses dias, nos permitam dizer - de verdade - que a 'Igreja está viva' e com muitos jovens. 
Na conclusão da adoração - na Igreja do Seminário -, num momento muito belo e significativo - foi entregues às várias paróquias um símbolo das JMJ. Esse mesmo irá ser colocado nas nossas Igrejas para nos recordar a nossa participação e como podemos colaborar, de modo a que esse grande acontecimento não 'passe ao nosso lado' sem o saborearmos 'por fora e por dentro'!

Aqui vai uma reportagem fotográfica de toda a tarde: 

- momentos da tarde: https://www.leiria-fatima.pt/assembleia-diocesana-2/

- entrega dos símbolos: https://bit.ly/3rERXfk

domingo, 2 de outubro de 2022

XXVII DOMINGO COMUM - a partir da Palavra

 

XXVII Tempo Comum: «Fé…»​​​ - Ano C

Não podemos definir a Palavrinha Fé.

Duas letras bem unidas que dão origem a uma misteriosa combinação.
São como duas cores inúteis, que quando se misturam deslumbram o brilho do olhar com tamanha beleza.
A Fé tem o peso e a medida infinita para quem anseia a felicidade.
É urgente ser um condutor de Fé.
Ter Fé é ter tudo… E tu? Tens Fé?

Perante a adversidade no caminho…
As dúvidas que nos avassalam…
As trevas que nos cobrem o rosto…
As injustiças que nos aprisionam…
Os medos que nos dominam…
Os silêncios que nos afastam do perdão…
As mãos que se fecham… ergamos bem alto a bandeira da Fé!

Há um apelo no ar:  «Aumenta a nossa fé»

É no abandono total que a Fé floresce e crescemos como Filhos muito amados de Deus.
Quando não encontras explicação: Tem Fé!
Quando os becos são maiores do que as saídas: Tem Fé!
Quando tudo te oferece o sabor amargo do fel: Tem Fé!

A Fé levar-te-à até onde Deus te quer encontrar.
Não hesites!
Nas palavras, nos passos, na escuta, no olhar, no abraço: coloca Fé!

Para esta semana e para toda a tua vida: Fé!
Palavra pequenina que faz de mim e de ti seres humanos enormes!


Liliana Dinis