DESTAQUE

RETIRO POPULAR (um percurso quaresmal)

Retiro Popular: QUARTAS-FEIRAS DA QUARESMA, ÀS 21h Como foi proposto vamos organizar o Retiro Popular nas nossas paróquias, com recurso aos ...

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

DIA MUNDIAL DO DOENTE - 11 de Fevereiro (Quinta-feira)

Todos os anos, desde há bastante tempo - há 29 - acontece este dia...Talvez em anos passados tenha passado bem despercebido a muitos!!!!Quem sabe, talvez este ano haja mais alguma sensibilidade para o viver com mais intensidade e talvez se dê mais valor à saúde, 'cuidando dos doentes'. Este é essencialmente um dia de oração, em comunhão com todos os que vivem a experiência da dor no sofrimento. Coincide, em cada ano com a Memória de Nossa Senhora de Lourdes. https://bit.ly/3ju2Lb9

Juntam-se algumas notas para dar sentido a este dia e a sentir a proximidade a todos (a todos) os que sofrem na doença do corpo, da alma ou até, quem sabe, da insensatez em viver sem o sentido da humanidade (a arrogância de estar bem sem olhar a quem sofre, a desfaçatez de descartar quem está muito doente - no terminar da vida terrena - desvalorizando todo o amor recebido, a incongruência de deixar à sua sorte o desvalido e o frágil...).

✅Fixe-se esta expressão que pode ser encontrada no contexto da Mensagem do Santo Padre para este dia: http://bit.ly/39XhU1q

“Queridos irmãos e irmãs, o mandamento do amor, que Jesus deixou aos seus discípulos, encontra uma realização concreta também no relacionamento com os doentes. Uma sociedade é tanto mais humana quanto melhor souber cuidar dos seus membros frágeis e atribulados e o fizer com uma eficiência animada por amor fraterno. Tendamos para esta meta, procurando que ninguém fique sozinho, nem se sinta excluído e abandonado”.

✅Celebração Eucarística pelos doentes na Igreja Paroquial de Mira d'Aire, via facebook. Memória de Nossa Senhora de Lurdes. Quinta-feira, às 18h. https://www.facebook.com/mialsb

ORAÇÃO

Pai santo, nós somos teus filhos.
Conhecemos o teu amor por cada um de nós
e por toda a humanidade.
Ajuda-nos a permanecer na tua luz,
para crescermos no amor recíproco,
e a fazermo-nos próximos
de quem sofre no corpo e no espírito.
Jesus Filho amado, verdadeiro homem e verdadeiro Deus,
és o nosso único Mestre.
Ensina-nos a caminhar na esperança.
Faz-nos aprender contigo, sobretudo na doença,
a acolher a fragilidade da vida.
Dá-nos a tua paz para os nossos medos,
o teu conforto para os nossos sofrimentos.
Espírito consolador,
os teus frutos são a paz, a humildade e a benevolência.
Alivia a humanidade aflita por esta pandemia.
Trata com o teu amor as relações feridas,
dá-nos o perdão recíproco,
converte os nossos corações
para que saibamos cuidar uns dos outros.
Maria, testemunha da esperança ao pé da cruz, ora por nós.
Amén.


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

A PARÓQUIA CONTINUA VIVA E CATEQUESE CONTINUA...em versão online


Nestes últimos dias (semanas) há quem se interrogue se as actividades paroquiais foram todas anuladas, se também a fé está em confinamento...se, se!
Não, não fechámos a fé! A fé não se enclausura... Ela subsiste em todo aquele e aquela que a vivem de coração sincero, como autênticos buscadores de Deus para alimento da sua vida.
Embora os espaços estejam fechados (por todas as razões que são conhecidas), há várias actividades que continuam...de maneira diferente, mas continuam. 
Há quem se interesse por saber algumas coisas e segue o que vai acontecendo, outros eventualmente não têm os meios para 'estar a par', outros talvez se tenham desinteressado e alheado da comunidade.

Mas sim, continuamos:
a transmitir a Missa dominical, às 11.30h, da Igreja paroquial de Mira de Aire (e noutras ocasiões mais especiais) via facebook. https://www.facebook.com/mialsb

a manter um contacto regular com as crianças e jovens que frequentam a catequese, via zoom. De referir que as sessões de catequese são destinadas a todos (desde o 1º ano até aos jovens), das 3 paróquias. Por enquanto um ritmo semanal, ao sábado, às 11.20h. O link de acesso segue abaixo.
Hora: 11:20 da manhã 
        13 fev. 2021 11:20 da manhã
        20 fev. 2021 11:20 da manhã
        27 fev. 2021 11:20 da manhã
        6 mar. 2021 11:20 da manhã
        13 mar. 2021 11:20 da manhã
        20 mar. 2021 11:20 da manhã

Todos os catequistas (e os catequizandos) de Alvados, Mira de Aire e São Bento têm as ligações para poder aceder

   
 a partilhar documentos, iniciativas e textos no blog paroquial e no facebook: BLOG PAROQUIAS ALVADOS, MIRA DE AIRE E SÃO BENTO


(quem desejar estar a par do que vai acontecendo e receber actualizações automáticas dos conteúdos/notícias do blog paroquial no próprio e-mail basta inseri-lo na página do blog. Ao abrir, no canto superior direito, onde se encontra 'FIQUE LIGADO', inserir o próprio mail e subscrever).


ALARGAR HORIZONTES (XCIX) - Está na altura...

 


sábado, 6 de fevereiro de 2021

V DOMINGO TEMPO COMUM B (cartaz e pensamento)

 


V DOMINGO COMUM B (Liturgia Familiar)

No diário de Jesus, feito por São Marcos, Jesus tem tempo para rezar, para pregar, para curar. Tempo para Deus e tempo para os irmãos. E são muitas as curas que Jesus faz. Impressiona-nos o tempo que Jesus dedica às pessoas doentes. Esta é uma mensagem de esperança, em tempos de pandemia e às portas do Dia Mundial do Doente. Este é um momento propício para prestar uma atenção especial às pessoas doentes e a quantos as assistem, quer em hospitais, quer no seio das famílias. Pensemos, de modo particular, nas pessoas que sofrem em todo o mundo os efeitos da pandemia do novo coronavírus. A todos, especialmente aos mais pobres e marginalizados, queremos exprimir a proximidade espiritual de Jesus e assegurar a solicitude e o afeto da Igreja. Reunidos hoje à volta de Jesus, é a nós que Ele quer pregar, é a nós que Jesus quer curar. É connosco que Ele quer rezar. Conscientes dos nossos males e das nossas misérias, voltemo-nos para Ele e deixemo-nos curar pela Sua misericórdia...

(P. Amaro Gonçalves)

LITUGIA FAMILIAR (V Domingo B)

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2021

A CARTA DE UMA RECLUSA...


 Nota do publicador:

E querem eliminar - é verdade que é um grupo, mas que a pretexto de liber..., influencia todos os outros que tem o 'poder' de decidir e colocar em lei -, e querem acabar com todos os capelães dos hospitais, das prisões...! Tudo o que 'cheire' a conselho, valores, defesa da personalidade indefesa... deve ser banido, dizem! 
UAU...é verdade, somos o 7º país do mundo a aprovar a 'eutanásia'! Somos, por isso, do grupo dos vitoriosos das escolhas miseráveis...Assim damos provas que também estamos na vanguarda! Mas de quê? Ahimé!
------------------------------------------------------------

«Tenho muito medo de voltar aos caminhos do mal»: Uma reclusa corresponde-se com o “seu” bispo

«O tempo passado na prisão não é vazio e inútil, se o coração se abre ao Senhor para começar com Ele um diálogo constante, não tanto de palavras, mas de sentimentos interiores: a certeza do seu amor que nunca falha, afugenta todo o temor e infunde força e coragem.» Fala diretamente aos reclusos o arcebispo de Turim, D. Cesare Nosiglia, e escolhe uma mulher em particular para falar da situação da prisão.

A sua reflexão chega depois de a mulher ter dirigido uma carta, a semana passada, ao semanário da arquidiocese italiana. «Gostaria de agradecer à redação e a todos aqueles que se recordam de nós, detidos, como pessoas, e pensam em nós com humanidade», escreveu.

«Li a carta que D. Cesare Nosiglia, através do vosso jornal, quis enviar-nos, e peço-vos que lhe levem o meu agradecimento pelas palavras de esperança que nos deu. Faltou-nos a missa de Natal por ele presidida, que me crismou, aqui na prisão em 2017, porque é um homem próximo das pessoas comuns: isto, para mim, é importantíssimo, porque nos faz sentir menos sós, dá força às pessoas que estão a perder o trabalho, aos últimos deixados ao frio, aos idosos sós dá aquele afeto de quem uma sociedade demasiado egoísta muitas vezes esquece a existência».

A missiva estava contida no apelo “Abona um detido”, a que responderam 60 leitores do semanário, permitindo ao jornal entrar a cada semana em outras tantas secções da prisão.

«Tudo isto me enche os dias e o coração, porque me sinto uma pessoa melhor servindo o próximo. Recordo os ensinamentos dos Salesianos, quando ia ao seu oratório: dirigir a minha oração a Deus ajuda-me, reforça-me e não me faz sentir só»

«Aqui na prisão, 2020 foi um ano devastador», escreveu a mulher. «Num lugar já fechado e apertado para o corpo e para a alma, o tempo tornou-se ainda mais longo e pesado. Só graças aos capelães conseguimos manter viva a esperança e decidimos evitar revoltas estéreis e lamúrias, e respeitarmo-nos como pessoas.»

No número de Natal do semanário, o arcebispo tinha redigido uma mensagem às pessoas detidas, e depois decidiu continuar o diálogo, respondendo à mulher.

«Na minha carta, convidei-a a pensar no seu futuro com serenidade, porque o Espírito Santo que recebeu no sacramento do Crisma que lhe administrei a sustentará no seu caminho, e aconselhá-la-á as escolhas acertadas a tomar para vencer o mal com o bem, e nunca perder a confiança em si mesma, porque o seu amor afugenta todo o temor.»

Palavras de esperança que procuram iluminar a consciência que a mulher detida tem das suas potencialidades e fraquezas: «Tenho muito medo de voltar aos “caminhos do mal”, e estou a dar o meu melhor para voltar a ser uma mulher que gosta de si mesma e não se desperdice».

«Infelizmente, a prisão é um ambiente duro, e pesa-me muito estar longe dos meus afetos, mesmo se a solidariedade entre alguns de nós não falte e nos une. Mas o futuro está mais cheio de incertezas do que de bons auspícios, especialmente para quem, como eu, teme a exclusão de uma possível reinserção, uma vez cumprida a minha pena», declara.

Do “lado de fora” vive-se uma crise assustadora, «mas não me faço “matar” pela vitimização, antes, combato-a: com o trabalho de limpeza, com o estudo no polo universitário para os detidos, ainda que com dificuldade, porque por agora está reservado aos reclusos masculinos, e com o voluntariado na seção especial onde estão as mães com crianças com menos de seis anos».

«Tudo isto me enche os dias e o coração, porque me sinto uma pessoa melhor servindo o próximo. Recordo os ensinamentos dos Salesianos, quando ia ao seu oratório: dirigir a minha oração a Deus ajuda-me, reforça-me e não me faz sentir só.»

Marina Lomunno

terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

domingo, 31 de janeiro de 2021

IV DOMINGO COMUM B - A partir da Palavra

 IV Tempo Comum: «Jesus repreendeu-o…» - Ano B

Não comas com os cotovelos na mesa! Endireita as costas!

Fala devagar para que te entendam! Vai devagar, porque podes cair!
Lava os dentes após as refeições! Ajuda os outros sem esperar recompensa!
Nunca reclames do teu dia! Reza todas as noites!”
Eis 5% das repreensões que os pais dão aos filhos… Hoje, entendo todas!

 

Já escutaste a voz do Pai?
Já disseste à humanidade tudo o que o Pai quer que seja edificado?
Ser profeta é da nossa condição de Baptizados.
Fechar o nosso coração às maravilhas que o Deus da Vida nos apresenta,
é permanecer em linha direta com as coisas mundanas e afasta-nos da felicidade.
O mundo está sedento do nosso Ser Divino e do bem que habita em nós.
Que a nossa preocupação diária seja agradar O Senhor.

 

Hoje, o 4º domingo do Tempo Comum,
quer que desviemos o olhar do mal, para todo o sempre.
O Mestre ensina com autoridade e maravilha todos os que O escutam.
É urgentíssimo, fazer como Jesus fez: repreender quem vive no pecado!
É preciso que as nossas vozes se unam
e gritem aos quatro cantos do mundo: «Cala-te e sai desse homem»

 

A maldade está enraizada na humanidade.
Mas, o bem, a luz de Deus, é muito mais forte do que qualquer treva que paira sem rumo.
O Cristo, o grande profeta, precisa de cada um de nós para que a bondade floresça.

 

Há um imenso poder em ti.
Quando te propões a erguer algo, por muito pesado que seja, o que te poderá parar?
A tua cobardia! A falta de confiança em ti! As vozes do mundo que tu dás ouvidos!
Tudo depende de ti…
No entanto, se a tua coragem for a luz que te ilumina…
Se disseres: “Eu sou capaz!” E se abrires os ouvidos à voz de Deus…
Arrancas uma tonelada de pedras do teu caminho e constróis um castelo, num só dia!

 

O Baptizado é um composto químico
que reage com o mais simples elemento da natureza: A Palavra!
Deus habita em ti e revela-se quando cumpres a Sua vontade.

 

No silêncio, a voz do Pai ecoa no teu coração.
Permite que aquele sussurro de amor, provoque em ti uma reação…
A tua missão é libertar os que andam oprimidos e cansados.
É relembrar a Boa Nova a todos os que se afastam da Casa de Deus…
É despertar a Fé no peito de todos os que não têm força para lutar contra as sombras…
É ser Esperança e enfrentar os espíritos impuros!

 

O Espírito de Deus está em ti…
Sê luz e liberta o mundo de todo mal!
Reage!


Liliana Dinis

sábado, 30 de janeiro de 2021

IV DOMINGO TEMPO COMUM B


 

IV DOMINGO COMUM B (Liturgia Familiar)


Encontros com o Senhor... Os nossos dias, a nossa semana, podem ser pontuadas com encontros, mesmo curtos, com o Senhor: momentos de oração (sozinhos, em casal, em família, em comunidade), momentos de meditação da Palavra de Deus; e gestos e encontros para servir os mais pequenos. Agradar ao Senhor, colocando o nosso quotidiano sob o seu olhar: fazer o ponto da situação, em cada noite, com Ele.

Confinados, mas não adormecidos na fé!


            LITURGIA FAMILIAR

quarta-feira, 27 de janeiro de 2021

JANEIRAS Q'81 - 30 Janeiro (formato online)

 


HINO DAS JORNADAS MUNDIAIS DA JUVENTUDE - Portugal 2023

 Hino da JMJ Lisboa 2023 convida jovens a identificarem-se com Maria


UMA  CANÇÃO A APRENDER E A CANTAR POR TODOS.
AOS JOVENS O CONVITE A PREPARAR A VIVER 
COM A ALEGRIA ESTE BELO ACONTECIMENTO,
QUE É ÚNICO NA JUVENTUDE DE CADA UM.
(estejamos atentos às propostas
e entremos bem dentro do caminho que 
levará a um encontro 'fabuloso')


O hino oficial da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023, intitulado ‘Há Pressa no Ar’, foi divulgado esta quarta-feira, 27 de janeiro, e convida os jovens a identificarem-se com Maria. “Ao cantar este hino, os jovens de todo o mundo são convidados a identificarem-se com Maria, dispondo-se ao serviço, à missão e à transformação do mundo”, destaca um comunicado do COL (Comité Organizador Local) desta JMJ, sublinhando que “a letra evoca também a festa da JMJ e a alegria centrada na relação com Deus”.



Apresentada no dia em que se cumprem dois anos do anúncio da capital portuguesa para receber o encontro de jovens de todo o mundo, a canção é inspirada no tema da JMJ Lisboa 2023 [‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’ (Lc 1,39)] e “desenvolve-se em torno do ‘sim’ de Maria e da sua pressa para ir ao encontro da prima Isabel, como relata a passagem bíblica”, salienta a nota. O tema foi gravado, em duas versões: uma em português e outra numa versão internacional, em cinco idiomas (português, inglês, espanhol, francês e italiano).

 

“Pensada para unir uma comunidade”

‘Há Pressa no Ar’ tem letra do padre João Paulo Vaz, da Diocese de Coimbra, música de Pedro Ferreira, professor e músico, e arranjos do músico Carlos Garcia. A melodia nasceu primeiro do que a letra, contam os autores. Segundo o comunicado, Pedro Ferreira, de 41 anos, compôs, numa “pequena sala, sozinho ao piano”, uma melodia “pensada para congregar, unir uma comunidade”. Com elementos da ‘Banda da Paróquia’, grupo musical que integra, pediu ao padre João Paulo Vaz para escrever a letra. “Não alterando em nada a melodia, e com a guitarra na mão, fui escrevendo, como costumo fazer”, recorda o sacerdote, de 51 anos. “O tema da edição de Lisboa levou-me a rever a minha relação com a Mãe e, portanto, o processo criativo da letra tornou-se um tempo de oração muito profundo para mim.”, acrescenta. Sobre o estilo do tema, o padre João Paulo Vaz recorda que foi solicitado, no concurso, “uma música popular, alegre, juvenil, fácil de aprender e de fácil tradução e adaptação”.

O autor da melodia, Pedro Ferreira, fundador da banda portuguesa Anaquim, entre outros projetos, destaca ainda os arranjos musicais de ‘Há Pressa no Ar’, da autoria do músico Carlos Garcia. “Ao ouvir o tema, o Carlos acaba por se apropriar da melodia e num trabalho notável – não lhe mexe na estrutura, na forma – enriquece-a de uma forma única”, sublinha.

 

Concurso nacional elegeu tema

A canção oficial da JMJ Lisboa 2023 foi escolhida em concurso nacional, aberto à participação de portugueses maiores de idade. O COL recebeu “mais de uma centena de candidaturas”, que foram “analisadas por um júri composto por profissionais das áreas da música e das artes”, esclarece a organização. “Como requisitos principais para a participação na competição foi pedido aos participantes que o hino oficial se inspirasse no lema da JMJ Lisboa 2023, definido pelo Papa Francisco; nos objetivos da JMJ, entre os quais sobressai o da evangelização; e na cultura portuguesa”, recorda a nota.

O processo de produção em estúdio, realizado em 2020, “envolveu jovens de todo o país, alguns dos quais participantes na competição que, apesar de não terem sido selecionados, integraram o coro da gravação final”, observa o COL.

 

 

Refrão do hino ‘Há Pressa no Ar’

Todos vão ouvir a nossa voz,

Levantemos os braços, há pressa no ar.

Jesus vive e não nos deixa sós:

Não mais deixaremos de amar.