segunda-feira, 29 de junho de 2020

SS PEDRO & PAULO (29 de Junho)

Solenidade de São PEDRO e São PAULO, Apóstolos

Para quem tem Fé
é tão fácil as horas transformarem-se em dias e os dias em meses e os meses em anos!
Para aqueles que escutam a voz do Pai
é tão bom abandonar a vida nas Suas mãos, nos Seus insondáveis desígnios!
Para cada um de nós, que somos Baptizados,
que vivemos por Cristo, com Cristo e em Cristo,
é tão maravilhoso proclamar que Amamos o Messias!

Hoje, celebramos dois Apóstolos de Jesus.

Saulo… Aquele que na queda viu a intensidade da Luz,
do “Verbo que se fez carne” e nos ofereceu a salvação!
O perseguidor que passou a perseguido.
Viveu pela espada!
S. Paulo, o homem da Palavra, o Evangelista inato:
«Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé.»

Simão… Aquele que deixou as redes, o barco e a família para pescar homens.
O cobarde que abre o peito para que o Espírito Santo habite e fale através dele.
É a pedra edificadora! É o detentor das Chaves!
Pedro, o Chefe da Igreja, o primeiro discípulo a fazer uma Profissão Messiânica:
«Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo».

Nos tempos em que vivemos,
Pedro e Paulo são modelos que devemos seguir para toda a VIDA!
Homens que se revelaram em Fé profunda.
Homens que após o encontro com o Mestre, mudaram de vida.
Homens fortes! Homens valentes! Homens de palavras que se transformam em atitudes.

Caríssimos,
que a Fé habite no coração de cada um de nós.
Não podemos fazer dos nossos dias uma rotina fútil e sem Deus.
Que a lembrança da Ressurreição do Messias,
de que Pedro é testemunha, seja o nosso maior alento!
Que as cartas de Paulo sejam o nosso ponto final,
para qualquer dúvida ou anseio que atormentem a estrada que percorremos!
e… que o Amor seja o primeiro e o último motivo pelo qual vivemos!

Hoje, é urgente ser Paulo e ser Pedro…
A vida é Dom de Deus.
Que a queda do cavalo nos resgate de todo o mal…
Que o sabor do mar nos faça bravos pescadores de homens…

Liliana Dinis


ALARGAR HORIZONTES (LXVIII) - As tuas férias


terça-feira, 23 de junho de 2020

INFORMAÇÕES - Visita (peregrinação) Imagem São Pedro às paróquias do concelho de Porto de Mós

INFORMAÇÕES

SÃO PEDRO VISITA AS PARÓQUIAS DE PORTO DE MÓS
São Bento - 27, 20.45h
Alvados - 28, 17.30h
Mira de Aire - 28, 18h
-----------------------------------------------
SÃO BENTO

27-06-2020 / 20.35
Recepção da Imagem na Igreja paroquial de São Bento, com uma breve celebração.
Quem desejar poderá participar no acolhimento da imagem (mantendo as distâncias devidas)
Permanece na Igreja até ao dia 28, às 17h
A imagem virá de Serro Ventoso (Chão das Pias) e prevê-se que passará pelo Poço da Chainça pelas 20.30h.
-------------------------

28-06-2020 / 17h
Breve momento de oração na Igreja de São Bento, na partida da Imagem para as restantes paróquias do concelho. 


ALVADOS
- 17.30h (+-): Chegada a ALVADOS
Paragem e breve celebração no adro da Igreja de Alvados

MIRA DE AIRE
- 18h (+-): Chegada a Mira de Aire
Paragem e breve celebração no Largo da Igreja de Mira de Aire
Passagem pela casa Abrigo (eventual breve paragem)

* OS HORÁRIOS SÃO OS PREVISTOS (pode haver alguma pequena alteração)

* QUEM DESEJAR PODERÁ PARTICIPAR NOS LOCAIS DE PARAGEM DA IMAGEM (mantendo as distâncias e regras recomendadas)

* NOS LOCAIS DE PASSAGEM O CONVITE PARA ASSINALAR COM ALGUM GESTO OU SÍMBOLO


sábado, 13 de junho de 2020

XI DOMINGO A - A partir da Palavra

XI TC: «A seara é grande, 

mas os trabalhadores são poucos.» - Ano A

O trabalho dignifica o Ser humano.
Colocar a mão ao arado; Arribar barcos com redes que quase rompem com peixe;
Fazer-se ouvir com palavras que dão tranquilidade; Errar, mas assumir o erro e mudar de vida…
São gestos de quem trabalha e é chamado pelo Senhor da Vida.

Após aceitarmos o chamamento de Deus, não podemos permanecer no mesmo lugar, à mesma hora.
É urgente sair e mudar o rumo da nossa história pessoal, do nosso relacionamento com o Senhor.
Pertencemos ao Deus que nos dá a Vida e nos ama, como o Pastor que cuida das suas ovelhas.
Sabemos que do Pai receberemos a Misericórdia e a Bondade, sempre,

pois somos o Seu Povo muito amado.
Somos uma Igreja tão amada e querida que nos envia o Seu Próprio Filho para morrer por nós.
Jesus morre por cada um de nós, que somos pecadores, fracos e ímpios.
Mas, fomos justificados pela Redenção que sai do peito do Cristo,
para que a Reconciliação de cada Ser Humano com Deus,
se revele na maior prova de Amor que recebemos do Pai.

Hoje, é 11º domingo do tempo Comum, do Ano A e

S. Mateus recorda quando o Mestre o envia com os dozes:
«Naquele tempo, Jesus, ao ver as multidões, encheu-Se de compaixão…»
O Salvador chama os seus discípulos e dá-lhes um Trabalho.
Uma árdua e bela Missão que trouxe a Esperança ao mundo:
«Pelo caminho, proclamai que está perto o reino dos Céus.»

Nos nossos dias, continuamos a precisar (ainda com mais sôfrego) da Compaixão Divina!
Hoje, Jesus chama por mim e por ti, para partirmos e anunciarmos…
Para partirmos e curarmos aqueles que estão desalentados…
Para partirmos e levarmos no peito a Fé na Ressurreição Daquele que veio para Ser Vida em nós.

Ficar parado à espera de que a doença passe não é solução!
Há tanto caminho para endireitar e tantas pontes para edificar…
Somos preciosos aos olhos do Senhor e Ele quer de cada um de nós precisar.
Não podemos perder o metro que nos levará mais longe!

 Hoje, fomos chamados pelo mesmo Jesus
que fitou os Seus Discípulos
com aquele piscar de olhos doce e terno.
Ficar indiferente não é da nossa condição humana.
Hoje, cada um de nós pode fitar o outro
com um olhar que emite Paz, Serenidade e Compaixão.

Vamos juntos trabalhar na messe do Senhor?
Seguiremos dois a dois e levaremos no coração a cura para todos os males:
O Amor que vem Deus!

 

Liliana Dinis


XI DOMINGO COMUM (A)


sexta-feira, 12 de junho de 2020

UM DIA DE CORPO DE DEUS 'DIFERENTE'...2020

Diferente...mas vivido com intensa profundidade e vitalidade, nomeadamente na comunidade de Mira de Aire (é aqui que em cada ano se vive de modo muito peculiar esta festa). Pelas mãos dos quarentões'80 - mesmo sem a possibilidade de realizar a Procissão pelas ruas e com o tempo um pouco 'farrusco' - o exterior da Igreja tornou-se belo. Não enjeitaram a oportunidade de manter, por quanto possível, a beleza do dia com  a criação dum artístico painel verde e florido, representando o símbolo maior da Eucaristia. A Igreja ficou repleta - com as regras do tempo - de mirenses (e não só), que quiseram honrar Jesus Cristo, na celebração eucarística da solenidade. Com as condicionantes que se conhecem
Também Alvados celebrou, com o espaço da celebração cheio de fiéis, a Eucaristia comemorativa do Dia. E assim em São Bento, com bastante menos participantes, mas com a dignidade que a solenidade do «mistério da fé cristã» merecem. 
Eis o link da transmissão e alguns sinais fotográficos de Mira de Aire.

ver em 
https://youtu.be/bdJBmg-dXCo

ou

Meo Kanal -  TV MEO
tecla verde (comando)´
nº canal: 960816






































sábado, 6 de junho de 2020

SS TRINDADE - Uma reflexão


Trindade: Deus é comunhão, vínculo, abraço
Os nomes de Deus sobre o monte (João 3,16-18) são um mais belo do que o outro: o misericordioso e piedoso, o lento para a ira, o rico de graça e de fidelidade (Êxodo 34,6). Moisés subiu com esforço, duas tábuas na mão, e Deus desconcerta-o e a todos os moralistas, escrevendo naquela rígida pedra palavras de ternura e de bondade.
Que chegam até Nicodemos, naquela noite de renascimento. Deus amou tanto o mundo, que lhe deu o seu Filho. Estamos no versículo central do Evangelho de João, num espanto que renasce sempre perante palavras boas como o mel, tonificantes como uma caminhada junto ao mar, entre salpicos de mar e ar bom respirado a plenos pulmões: Deus amou tanto o mundo… e a noite de Nicodemos, e as nossas, iluminam-se.
Jesus está a dizer ao fariseu medroso: o nome de Deus não é amor, é “muito amor”, Ele é “o muito-amante”. Deus, pela eternidade, considera o mundo, cada carne, mais importante que Ele próprio. Para me adquirir, perdeu-se a si mesmo. Loucura da cruz. Insanidade de Sexta-feira Santa. Mas por nós renasce: cada ser nasce e renasce do coração de quem o ama.
Experimentemos saborear a beleza destes verbos no passado: Deus amou, o Filho foi dado. Dizem não uma esperança (Deus amar-te-á se tu…), mas um facto seguro e adquirido: Deus já está aqui, impregnou de si o mundo, e o mundo dele está embebido
Deixemos que os pensamentos absorvam esta verdade belíssima: Deus já veio, está no mundo, aqui, agora, com muito amor. E repitamo-nos estas palavras a cada despertar, a cada dificuldade, de cada vez que perdemos a confiança e se faz noite.
O Filho não foi enviado para julgar. «Eu não julgo!» (João 8,15). Que palavra explosiva, a repetir setenta vezes sete à nossa fé amedrontada! Eu não julgo, nem para sentenças de condenação nem para vereditos de absolvição.
Posso pesar os montes com a balança e o mar com a palma das mãos (Isaías 40,12), mas o ser humano não o peso nem o meço. Salvar quer dizer alimentar de plenitude e, depois, conservar.
Deus conserva: este mundo e eu, cada pensamento bom, cada generosa fadiga, cada dolorosa paciência; nem um cabelo da vossa cabeça se perderá (Lucas 21,38), nem sequer um fio de erva, nem sequer um fio de beleza desaparecerá no nada.
O mundo é salvo porque amado. Os cristãos não são aqueles que amam Deus, são aqueles que acreditam que Deus os ama, que pronunciou o seu «sim» ao mundo, antes que o mundo diga «sim» a Ele.
Festa da Santíssima Trindade: anúncio que Deus não é em si mesmo solidão, mas comunhão, vínculo, abraço. Que nos alcançou, e liberta, e faz erguer em voo uma pulsão de amor.

Ermes Ronchi


SOLENIDADE SANTÍSSIMA TRINDADE 2020